Tô ocupada!

Em minha casa éramos muitos. 11 filhos, pai e mãe.
E sempre 1 só banheiro.
Nem era comum que as casas tivessem suíte. 
Quando finalmente meus pais puderam ter seu banheiro anexo ao quarto, a última filha já estava com mais de 6 anos de idade e algum tempo depois é que vieram mais 2 bebês para a casa. 
E eu já era moça feita. Mas até então, o que se vivia era uma casa sempre cheia, com jovem adulto, adolescente, criança e bebê convivendo às vezes nem tão pacificamente. O serviço  durava o dia todo, mesmo com ajuda de empregada. Afinal, parecia uma mini-creche.
Muitas vezes no dia, o refúgio era o banheiro. Sempre que havia uma brecha nas obrigações, e encontrando-o desocupado, lá ia eu para o banheiro. E quando mamãe chamava, a resposta vinha, gritada: (pra ser ouvida): "- Tô ocupada!" E aí já se sabia que era no banheiro.

 Não que entrasse nele e ficasse olhando para as paredes. Não, havia sempre uma vontade pra ser satisfeita, só que a demora era proposital.
Se no meio do caminho conseguisse uma revista, um jornal, um livro, entrava junto comigo no banheiro e às vezes a perna ficava até dormente, dava tempo de ler um bom pedaço...
Bons tempos. Sempre bom recordar, ainda mais eu, que não me lembro de detalhes da minha vida.
Pra dizer a verdade, quantas vezes me sentei na beirada da banheira e lá fiquei, esperando ver se alguém começava (ou terminava) uma tarefa pra mim? Bons tempos.
           (A banheira era desse tipo, ia de uma parede a outra, e envolvida por alvenaria e azulejos. A cor era um verde escuro, bem bonito).
Enquanto procurava imagens, no Google, encontrei estudos que mostram que ler no banheiro faz bem à saúde. Mas esse é outro assunto, para um outro dia.

28 comentários:

Sílvia Gianni disse...

Oi Lúcia, que delícia de post.
Sempre tive uma "inveja" danada de quem tinha(tem) família grande.
O banheiro, com certeza, era um bom refúgio. Santo Banheiro!
Beijos.

Heloísa disse...

Lúcia,
Que interessante. Você me fez lembrar da minha casa.
Éramos 11 pessoas. Meus pais e os 9 filhos.
Como era comum (mesmo nas casas grandes) tínhamos somente um banheiro na parte de cima (era um sobrado), e um banheirinho, na parte de baixo.
E o incrível é que conseguíamos nos acertar.
Hoje não consigo imaginar como viveríamos só com um banheiro, numa casa com bem menos pessoas.
Você me deu uma boa ideia. Quem sabe falo algum dia sobre isso, no meu blog?
Beijo.

Mauro S disse...

Oi Lúcia, bons tempos estes que nos levam ao passado, a alguma recordação boa, até hoje, às vezes, levo um jornal para ler, mas falando de facebook perdi um pouco esta empolgação, do nada estou outra vez, mais para o blog ou blogs.
Beijos e obrigado pela visita, Mauro

Bel Rech disse...

Lúcia....nós éramos 5 e um banheiro e revista não faltava no banheiro, meu pé não dava para colocar no chão depois...respostas iguais a sua...kkkkk
Hoje quando meus filhos entram com um livro ou uma revista, é exemplo, eu penso que para o bem, pois ao menos lêem todo dia...
Paz e bem

Ariadne disse...

ahhhh amiga, eu adorooooo ler no banheiro, tenho até revisteiro ao lado do vaso.
Passei o costume para meusz filhos, pq nao existe ninguem aqui em casa que nao goste de dar uma lidinha rapida no trono....
Bjks

Rachel disse...

Olá Lúcia...me diverti com seu post, até por que me identifiquei muito com ele.
Na minha casa também era assim, somos 7 irmãs, e você pode bem imaginar o trabalho que dava cuidar da turminha toda, sendo eu a mais velha, acabei ajudando minha mãe a cuidar de algumas.
Muitas vezes o banheiro foi meu refúgio.
Boas lembranças, te agradeço por provocar isso.
Bjuss!!!

ML disse...

Querida, companhia é muito bom, mas privacidade é fundamental. Posso só imaginar o que é conviver com 13 pessoas...
Se tem uma coisa de que eu tenho pânico é que alguém me chame quando estou fazendo outra coisa, nem preciso estar trancada no banheiro, fico "louquinha", tipo "peraí, vc pode aguentar sem mim, certo?". Mas quantas vezes as pessoas estão apenas privilegiando a nossa companhia...

bjnhs e ótima semana, Lúcia!

Um Amigo! disse...

Boa noite, Lúcia, estou com os jornais aqui e realmente errei, procuradora e não promotora, já corrigido, mas a primeira vez que li a notícia falava de dois filhos, um de dois e outro de quatro, mas como há diferenças, preferi deixar as idades de fora, nem acrescento a morte dele, mas penso nas crianças, sem a mãe, sem o pai e esta loucura toda.
Crescer assim só com a ajuda de Deus e muitas orações.
E tem tantas saídas, e a melhor será sempre as conversas, mas ainda tem pessoas que agem como ele.
Sem comentários!

Beijos, Mauro
(vindo por este meu outro espaço!)

Palavras Vagabundas disse...

Lucia,
vim de uma casa com 6 filhos, pai, mãe um só banheiro, te entedo perfeitamente, li muuito sentada dentro da banheira, às vezes o único lugar silencioso!
bjs
Jussara

Teresa Cristina disse...

Oiee!!
kkkkk...usar o banheiro de fuga pra outro terminar algo que era seu dever, é uma tática que quem nunca usou que atire a primeira pedra.
Bom começo de semana!!
Bjs♥Paz!!

Deusa disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk,mas isto e um fato,me disseram uma vez que a unica forma de se ficar no banheiro esperando sentada algo acontecer....que demora e nunca acontece(entende),era levar uma revista ou um livro para ler...kkkkk,mas não e que funciona mesmo...kkkk.
11 crianças e dois adultos e só um banheiro,era muito normal antigamente,na casa dos meus avós também era assim,mas tinham regras,senão...já viu.As crianças tomavam banho no quintal,de bacia,era divertido segundo minha mãe,muito mais que hoje no chuveiro.Tadinhas da sua mãe e da minha avo,imagine Lúcia...uma creche.
Bjs
Deusa
vasinhos coloridos

Isadora disse...

Oi Lúcia, tudo bem? Passando para conhecer o seu novo cantinho e ler suas histórias. Que bom refúgio para burlar as tarefas e sonhar um pouco - rs!
Beijos

Renata Boechat disse...

Lúcia

Bom dia, que boa surpresa essa!

Fico muito feliz que estejas de volta, e em grande estilo, que bom!

Posts inteligentes, bem humorados, bem a sua cara, gostei demais!

Banheiro exclusivo? KKKKK!!!! Vou tentar explicar pra minha filha o que é ter que dividir o banheiro com uma família numerosa, ou melhor, vou pedir que ela venha aqui ler o que é isso...kkkk...adorei!

Bom tê-la de volta, seja muito bem recebida!

Irene Moreira disse...

Olá Lúcia

Minha doce amiga peço deculpas só agora vim aqui fazer uma visita em seu novo cantinho.

Que delícia de ver, adorei cada detalhe´. Desejo que sem medida fique para sempre conosco.

Esse seu post também me fez recordar de momentos de minha infância e na nossa época tinha que e contentar com um banheiro só mesmo.

Lá em casa éramos cinco irmãos e a briga era feia para usar o banheiro. Resolvi o meu problema sendo a primeira a acordar e aí ele era só meu.

Depois volto com calma para ler os outros posts ok?

Beijinhos no seu coração

Beth/Lilás disse...

Toc, toc! Tá ocupada? hehehehe
Ô Lúcia, sabe o que é mais legal nisso tudo? É ver como você está resgatando suas memórias que pensava que não tinha, ou que não conseguiria mais. Por isso eu gosto de blog, muito mais que face, que orkut e outras coisas.
O blog favorece muitas coisas e uma delas é isso, retornar no tempo, relembras coisas boas e tão significativas para nossa vida.
Você também era pimentinha, heim!
Imagino uma casa com tantos irmãos e um só banheiro e a senhorita lá, aboletada, só pensando, pensando.
kkkkkkkkk
beijinhos cariocas


(respondi teu email ainda a pouco)

✿ chica disse...

rssssssssss....Boas lembranças desses "ocupamentos"... Adorei ler!beijos,chica

VIVIAN!!!!!! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
VIVIAN!!!!!! disse...

Oi Lúcia.. Me lembro que na casa onde moravamos, no Paraná, como eramos em cinco, tres meninas, papai e mamãe.. o banheiro não era sempre ocupado, papai sempre no trabalho, mas no mesmo quintal tinha a casa da vovó, q quando lá em casa estava "ocupado" corriamos pela escada e usavamos o banheiro da casa da vovó... ai a vó gritava cuidado com essas escadas meninas... e nós apertadas né, sem paciência pq sempre queria fazer rápido para voltarmos a brincar pelo queintal, tinha q ir correndo mesmo... Os banheiros mais antigos eram grandes bem quadrados, com aqueles azulejos pequenos todos desenhados ... muitas lembranças....daquele lugar gostoso, casa grande , quintal grande... pé de manga.. jabuticaba...uma delícia!!!! bjs bjs...

Lorena Viana, disse...

Bom dia querida, que delícia de cantinho! Super aconchegante.
Doces recordações...
Adorei seu cantinho e já vou ficar...
Desejo uma linda Semana, cheio de muita felicidade e AMOR.
Convido para participar do 1º sorteio que está havendo no meu cantinho, foi feito com muito afeto: http://pequena-prendiz.blogspot.com/2012/02/sorteio-e-afeto.html
Beijinhos!

Cucla disse...

Adoro ler no banheiro....Mamãe contava que com os 7 irmãos acontecia o mesmo....rsrsrs

Macá disse...

Lucia
Cheguei. Nossa, estou muito feliz que você esteja de volta com o blog ( e lindo tá?).
Você sabe que fazia falta, haja vista a quantidade de comentários.
Já dei uma olhada em todos os posts anteriores, pra ficar por dentro.
E eu que achava que minha família era grande..... éramos em 7 filhos, só que eu sou a caçula. E lá também o banheiro era o refúgio, porque minha mãe não dava moleza não.
A minha sorte é que, por ser mais nova, os mais velhos já saiam pra trabalhar, então ficavam só os menores em casa.
Feliz retorno
um beijo

Rosamaria disse...

A-do-rei teu post!
Lá em casa éramos 11 pessoas, pois uma tia ficou viúva e foi morar conosco junto com os filhos.
Eu tenho trauma té hoje, quando estou no banheiro e alguém bate me apurando, pois acontecia sempre, por eu ser a mais nova. Ainda me gozavam pq eu ficava braba. Mas quando "sobrava"pra mim, lembro que, adolescente apaixonada, cantava e fazia versos que escrevia no papel higiênico, até que um dia eu esqueci de guardar ou dar um fim e minha prima achou.
Credinho! Aí que começaram a pegar no meu pé cada vez que eu entrava no banheiro.
Boas lembranças, cosquirídia.
Bjim

Eli Pechim disse...

Menina, sabe que eu leio demais mas nunca no banheiro? Lá em casa erámos seis (pai, mãe, 4 filhos) e 1 só banheiro para todos. Que loucura! Hoje eu tenho 4 aqui para 2 1/2 pessoas e só uso um. Vai entender. Banheira é um troço chato. Eu sempre quis ter, agora que tenho nunca uso. Usei bastante no final da gestação para ajudar com a dor nas costas e meu filho nasceu na banheira do meu quarto. Depois disso, nunca mais. Fica lá só pra dar trabalho de limpar. rs... Beijo

Deia disse...

Lúcia, vi a minha filha em você! rsrs! Quantas vezes eu a procuro pela casa (para passar alguma tarefa ou só mesmo para checar se está tudo bem) e ela me responde, a voz abafada atrás da porta: tô no banheiro! Sempre acompanhada de alguma "literatura" - que é como chamamos os materiais escritos que fogem com ela para o banheiro! Adorei a postagem! Um beijo, Deia.

Bordados e Retalhos disse...

Lúcia, muito leve e jovial a cara do seu site. Amei. Sabe, adoro ler,entao leio em qualquer lugar, até em pé em ônibus se der. Ler no banheiro é uma delícia. Bjs

Brechique da Dodoca disse...

Lucia, que coincidência! Aliás, duas: tb fugia para LER no banheiro e quase não lembro de coisas da minha infãncia!
Caramba, achei incrível! Esssas saudades vão puxando outras...
Bjssssssssssss, quérida!
P.S.: Já não levo nada para ler no banheiro: levo palavras cruzadas, ih, já há muito tempo!

ML disse...

Lucia: ficou muito linda a data dos posts!

bjnhs

Bombom disse...

Olá Lúcia! Só hoje consegui vir aqui espreitar! Que delícia, fizeste-me voltar atrás 60 anos, he,he! Nós não éramos tantos filhos, mas além do pai e da mãe, vivíamos com uma tia solteira (irmã do pai) e a tia que os criou (os pais morreram muito cedo) que era madrinha dele. E ainda tínhamos uma criada.Claro que a casa de banho era só uma e ninguém reclamava. Por sorte havia uns bacios nos quartos para alguma aflição! Eu nunca tinha o direito de ler lá, porque o meu irmão mais velho tratava de a ocupar com os Mosquitos", uma revista muito antiga e precursora das histórias aos quadradinhos.E eu, como era a mais velha, nunca me podia furtar a tomar conta dos mais pequeninos. A banheira lá de casa era muito semelhante à da foto. Era assim independente, em esmalte branco com uns pèzinhos metalizados muito brilhantes e dizia MUNCHEN. Feita na Alemanha, que nessa altura ainda não havia nada "made in China" que era muito longe!
Bjs. Bombom