Nossas crianças

Dia 11 de outubro é dia mundial do combate à obesidade.
A obesidade infantil anda preocupando muito e "é de pequenino que se torce o pepino".
Quem me acompanha há mais tempo já leu postagens em que falei sobre a alimentação das crianças, visto que meu neto mais velho, Estevão, sempre esteve acima do peso, mas nunca chegou a ser obeso. Hoje, aos 5 anos, já está muito bem, controlou o peso, não sem muito esforço dele mesmo (visto que ele é que deixou de lado as gostosuras) e da mãe, que colaborou da maneira certa: oferecendo alimentos mais saudáveis.
Como são 3 crianças e os dois menores não precisavam de dieta, houve uma dose de sacrifício de todos, mas não reclamaram. Comer corretamente não significa deixar de comer o que é mais chamativo, como um doce, um chocolate, um picolé. Tudo pode ser comido, desde que sob controle.
                Fabrício (3 anos),à esquerda; Estevão (5 anos), no meio; e Henrique (3 anos)

É fácil perceber quando erramos na alimentação dos filhos (da família, de um modo geral), pois engordar  salta aos olhos. 
Encontrei uma frase que mostra o caminho das pedras: "A mudança de hábito alimentar começa no supermercado" (endocrinologista Roberta dos Santos Rocha, jornal Estado de Minas, 11/10/12).
Segundo ela, o refrigerante é o grande vilão da alimentação. E não devemos estocar em casa biscoitos recheados, balas, doces, chocolates e guloseimas em geral. Mas criança adora tudo isso (por hábito, por verem em casa, à vontade) e proibir é difícil, então podem ser liberados nos finais de semana, ou num dia que a família mesmo chegue a um concenso.
Nem precisa lembrar que atividade física é importante, criança adora uma bola, uma bicicleta, nadar, correr, temos que proporcionar condições para que se exercitem.
A parte nevrálgica do problema (depois da própria casa): a escola. 
Algumas já adotaram o hábito de só servirem nas cantinas alimentos mais saudáveis. Mas são oásis no deserto. 
A maioria não se importa e servem de tudo, da pior qualidade, industrializados cheios de sódio, açúcar, conservantes, frituras, etc. Um veneno, a longo prazo.
Uma alimentação que dê valor a frutas, sanduíches leves, (com pão integral, nem sempre saboroso ao paladar das crianças, mas pode-se tentar), suco natural, seria o ideal para um lanche na escola ou no meio da tarde, em casa.
Nessa reportagem que li hoje, um garoto de 13 anos, que chegou a pesar quase 80 kg, dá seu recado: "Percebi que a gente come com os olhos e que dava para controlar, sem deixar de comer o que gosto. Emagrecer não exige sofrimento, só determinação."  
Claro que ele deve ter ouvido essa frase N vezes e a incorporou, tomara que para sempre. 
E enquanto uns são bons de garfo e têm que ser contidos, outros são difíceis de comer, fazendo da horas das refeições uma batalha diária. 
Esta é Letícia, a neta de 4 anos. Magrelinha, saudável, a mãe sempre de olho na qualidade pois quantidade não é com ela!  Nem nas guloseimas exagera. rs
               (A bolsa, difícil agora sair sem ela...A maletinha não sai junto, mas é preciso convencê-la.)

Aproveitando o Dia das Crianças, lembro que não devemos deixar que morra a criança que existe em nós. 
Mesmo que a infância não tenha sido lá grandes coisas (nem todo mundo tem apenas lembranças boas), não há nenhum tempo melhor na vida, o da inocência, do aprendizado, dos encontros com as possiblidades.
E o melhor presente que uma criança pode ter é uma família que a ame, acolha, respeite.

Homenageio todas as crianças em meus netos, mostrando por último, mas não o último, o mais novo deles, o Samuel. Segunda feira ele completará 2 meses de vida. Uma alegria a mais para nós. 


Feliz Dia da Crianças!
E salve a padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. 

15 comentários:

Beth/Lilás disse...

Boa noite, Lúcia!
Partilho das mesmas ideias com relação à alimentação infantil bem cuidada e hoje, balanceada, pois os alimentos estão cada dia mais contendo muitos itens nocivos à saúde.
Seu neto mais velho está lindo, como emagreceu o bichinho! Parece mais um irmão adolescente no meio dos mais novinhos. Deve ter sido um bocado difícil para sua filha e para elezinho, pois lembro-me de um amiguinho de meu filho que era gordo demais quando pequeno e continua assim até hoje, por que seus pais nunca se importaram com sua alimentação e seu dia a dia, ficava sozinho com a empregada e para compensar a ausência, enchiam armários e geladeira com besteiras engordativas.
A Letícia é uma menininha dentro da normalidade atual, não a acho magra e tampouco gorda, muito lindinha e isso será ótimo para quando chegar a adolescência e idade adulta.
Consumismo também é outra coisa perigosa e que tem que ser revista com os pais atualmente.
E Salve nossas criancinhas de hoje e sempre!
beijos cariocas e ótimo feriado!

✿ chica disse...

Importante esse tema. Aqui o problema é diferente...Gostaria de ver Neno comendo bem, com vontade e ganhando no mínimo uns 7 quilinhos,rsrs... Lindas fotos, netos e eles encantam,não?

Feliz Dia das Crianças por aí! beijos e adorei tua interação, acabei de colocar lá! chica

Beth/Lilás disse...

Obrigada Lúcia pela correção por lá, já acertei. Valeu!
Pena que vc não tinha uma fotinha! precisa arranjar urgente.
bjs cariocas


manuel marques Arroz disse...

"A primeira lei dos dietistas parece ser esta: se sabe bem, faz-te mal."

Beijo e bom fim de semana.

Silvia Masc disse...

Lúcia, adorei o seu post, um tema muito bem lembrado. São lindos os teus netos parabéns!O sinal da Net voltou, daqui a pouco, estarei postando no LongeVIDAde , e subir vídeo com conexão 3G ninguém merece.beijinho e um Feliz dia das crianças para todos você.

Palavras Vagabundas disse...

Lucia, ótima lembrança sobre alimentação infantil, nunca estoquei qualquer tipo de guloseimas e minha neta é criada da mesma maneira, a vida moderna não fez muito bem às crianças, quase nenhuma corre o dia todo brincando, infelizmente.
Procuro sempre guardar as boas lembranças, por que seis filhos e dinheiro medido não foi fácil! Todos começamos a trabalhar por volta dos 14/15 anos, por isso os anos de infância são importantes, pois depois disso era difícil estarmos os seis juntos.
bjs
Jussara

Ana Jardim disse...

Oi Lúcia,
Muito bom seu post!! A educação alimentar deve começar desde cedo sim!! Aqui em casa eu já me despertei para melhores hábitos e coloquei todo mundo no ritmo...kkkk. Já perdi 7 Kilos, mas ainda falta para chegar no meu objetivo final...Mas na mesa só entra coisas mais saudáveis, quem não quiser comer vai ficar com fome...kkkkkk.
Querida, Acabei de lhe enviar um e-mail..depois você me fala tá?
bjokas

Pepa disse...

Oi Lucia, é a Vi,de fato a obesidade infantil é terrível, mas fruto da sociedade consumista e do progresso..
Antigamente a maioria das mães não tinham que trabalhar fora, podiam se dedicar aos filhos, hoje grande parte das crianças tem por "mãe" a TV, ou internet, ou ficam em creches..
O assunto é muito profundo, tem muitas vertentes, mas é preciso que a sociedade se conscientize que é com exemplos que as coisas mudam.

Calu disse...

O Lúcia,
que turminha linda e pelo visto, sapeca também, mas isto é saúde.
Eu lamento à bessa que o advento dos estudos nutricionais só tenha ganho projeção há mais ou menos uns 12 anos pra cá.Os pequenos são levados pela quantidade de ofertas de guloseimas; ainda o consumismo voltado para a infância.Cada vez mais as famílias tomam consciência da importância duma alimentação saudável para todos e se movem em praticá-la.Tomara que estes cuidados se estendam a todos os ambientes alimentares.
As crianças merecem esta atenção para com sua saúde.
Bom fim de semana.
Bjkas,
Calu

Cristina Pavani disse...

Adorei sua "Creche", Lucia!
Não tenho netos, "Fiotão" nem pensa em colaborar...
Invejinha!
Um abraço caipira,
Cri.

Lu Souza Brito disse...

Lucia,

Como são fofos seus netos. E a Leticia, ai gente.
Acompanhei sim seus posts sobre a alimentação, das crianças principalmente e sabe, snto uma dó quando vejo as crianças obesas e o pior, pais que pouco fazem para reverter esta situação. Não dão sequer bons exemplos...
Estas dicas de não ter guloseimas em casa serve para todos. Sabe que estou um pouco acima do peso também, devido ao inchaço causado pelos remedios, mas também pelo pouco exercicio fisico e pelos exageros que cometo, pela fome que estes remedios me dão. Ahahaha.
Super beijo.

Pepa disse...

Olha eu li o post todo, mas depois que vi essas cutezas de crianças fiquei encantada, um mais fofo que o outro...

E você disse tudo, cuidar enquanto é pequeno é muito mais fácil !!!
#euqueodiga, srrs

bjus 1000 sua linda !!

Elaine Gaspareto disse...

Lúcia, que lindezas estão os 3 meninos!
Tevinho (sou íntima? rsrsrs) conseguiu, está magro, um vitorioso!
Que fofuras!
beijossss

ONG ALERTA disse...

Netos são o mais belo presente curte muito bus, Lisette.

Marli Borges disse...

Oi Lucia, te reencontrei! \o/
Esse post é uma beleza e abordou o tema com objetividade! A alimentação infantil a cada dia que passa, transforma-se num legítimo "calcanhar de aquiles" para muitas mães. E é ainda mais complicado quando a criança tem tendência à obesidade ou à diabete. Teus netinhos são uns amores. Bj