Tolerância zero!

 (Foto Google)
 Ando sem paciência.
Ou sempre fui assim, não sei.
Sou como aquele persongem da TV, "tolerância zero".
No caso, ele é contra perguntas desnecessáris, mas eu tenho tolerância zero a muita coisa.
Por exemplo: tomador de conta de carro na rua. O que já é um abuso eles existirem. Os famosos "flanelinhas".
E os que ficam com talão de estacionamento, aqui chamado de Faixa Azul, estes correm mais ainda pra lhe arrumar a vaga e ganhar seu dinheirinho. Comprando o talão, cada folha custa 2,50 (não sei se estou errada, há tempos não compro) e pegando na mão deles (dos tomadores de conta), cobram 4,00. 
Bom, usando o raciocínio pequeno, pelo menos eles estão trabalhando, não estão por aí roubando, matando...
(ai, como é duro aceitar que "bicos" substituem emprego que deveria existir pra todos!).
Bom, a semana passada e esta fiquei por conta de fazer meus exames anuais, que não foram feitos em 2010.
Visitei ginecologista, oftalmologista, otorrino, endocrinologista, passei por Raios X , ultrassons, exames de análise clínica.
E haja $$$ para pagar estacionamento!
Decidi que vou andar mais de ônibus.
Caminho e economizo, tudo num pacote só.
Mas voltando ao tomador de conta: arranjou-me uma vaga espremidinha, eu achei que nem daria, pois ia colar no carro da frente e este já estava colado no da frente dele...
O moço me falou que dava, porque esse carro só sairia dali às 18h, era tranquilo.
Como EU SEI fazer manobra (rsrs), lá fui eu. 
E o cara me orientando. Abri a janela e falei pra ele que não precisava, eu sabia entrar na vaga...Ele continou insistindo e eu me embananei toda e não entrei! Daí me posicionei de novo pra refazer a manobra e ele lá, gesticulando feito doido.
Aí disse: "- Aqui, olha aqui, pra minha mãozinha!" (fazendo o sinal de desfazer o volante).
Ai! Pra quê!
Saí do carro e falei: "- Moço, eu sei dirigir, não comprei a carteira."
E ele: "- É, mas não acertou da primeira, eu acertaria!"
Olha que idiotice! Se não estivesse na hora de entrar no médico, ia sair dali "cuspindo fogo"!
Mas voltei pro carro, manobrei e entrei na vaga.
Enquanto ele preenchia o talão, ainda teve a petulância de me dizer:
"- Fica calma, dona. Sei que está triste por causa do seu time, ontem, mas não fica nervosa, não!"
Quis fazer gracinha, adivinhou que eu sou Galo (que perdeu o campeonato mineiro ontem, e ainda mais pro arquirrival Cruzeiro), mas eu fui curta e grossa:
"- Sou atleticana, sim, mas o que me irritou é você achar que eu não entraria na vaga."
E ele: "- É, dona, mas de primeira não entrou, não..."
Por que será que homem sempre tem que achar que mulher não é boa motorista?

(Texto escrito em 2011. Continuo sem tolerância!) E se vc se lembra dele e quer saber o que comentou, clica aqui.) 
(Copiei da Beth. Hihihihi!)

9 comentários:

Luciana disse...

Aff, eu tinha lido antes o post, mas eh ler de novo e sentir a mesma raiva da criatura e de todas as criaturas iguais. Não sei se rola isso de 'pelo menos estão trabalhando', afinal a gente sabe que alem de não ser um trabalho legal, rola intimidacão e inclusive roubos e tal, feitos ou dirigidos por eles proprios. Esse ai eu tinha mandado a merda na saida.

Beijo

✿ chica disse...

Essas coisas não mudam e irritam ontem e hoje e acredito,SEMPRE!!! beijos,lindo dia!chica

Sílvia Gianni disse...

Oi Lúcia,
como tais situações são irritantes! Dá muita raiva quando alguém acha que não somos capazes de realizar determinadas tarefas.
Povo chato! Você se saiu muito bem e fina.
Beijos.

Roseli Pedroso disse...

Lucia não tenho outra palavra para esse tipo de situação e de pessoa em nossas vidas: É FODA!
Também tenho tolerância zero para determinadas coisas e se botarem minha inteligência em dúvida então...Viro fera ferida e mostro os dentes babando! hehe!
Texto atualíssimo!
Bjs

Valéria disse...

Oi Lúcia!
Esta é daquelas situações que pode passar todo o tempo do mundo sempre irar irritar. E é verdade, não só os homens acham que mulher não sabe dirigir, mulher machista também.rsss
Beijinhos e uma ótima semana!

Beth/Lilás disse...

Pois é, Lúcia, tem mesmo muita coisa nas ruas de nossas cidades que nos tiram do sério. Por isso já disse, não dirijo mais, principalmente no centro, prefiro ir de ônibus ou táxi e sempre volto de táxi. É um aborrecimento tudo isso e, por incrível que pareça, não tem guardinha municipal que sirva pra nada numa hora dessas.
Aliás, acabo de voltar do médico no centro e de táxi, nem pensar em estacionar naquelas ruas cheias de flanelinhas ou sair catando vagas.
um abraço carioca



Judy Kennedy disse...

Oi Lucia, fiquei c/ raiva!!!!! Vc foi mto paciente..... eu teria xingado mto o imbecil. Tb fico injuriada c/ alguém se metendo qdo tenho de fazer algo q sei e vejo q alguém duvida! bjs ....judy

ML disse...

A baderna verde e amarela continua a mesma, e eu repito meu comentário:
"Lúcia: vc deveria ter perguntado ao "piloto" se ele por acaso tem ou já teve carro, caso sim se era "0" ou se ele se locomove mesmo é de buzunga. E que neste caso, o motorista do bus deve ficar feliz quando ele adentra. Flanelinha é uma corja, e não age sozinho não: é parceiro da "hotoridade" que ganha pra impedir que alguem se aposse de algum pedaço da via pública - e divide o "lucro". Minha tolerância tb é muitíssimo baixa. Mas eu apelo pra ironia. É legal ; > )"

bjnhs

Misturação - Ana Karla disse...

Tolerância zero! kkkkkkkk
Muita petulância desses flanelinha. Muitos enchem o saco.
Xeros