Não sei que título dar a esse post. Vou escrevendo, até achar um.
Deletei o post anterior porque resolvi não me manifestar mais sobre o assunto, mesmo sendo através da visão de outras pessoas. Por enquanto, não.
Só vim dizer que não sou omissa.
Não sou pessimista.
Não sou ativista.
Não sou contrária a manifestações. Sou contra vandalismo, óbvio.
Não compactuo com quem afirma que vandalismo são pessoas no chão, sem atendimento, em hospitais.
Como que justificando que se vandalize nas manifestações, que "é isso mesmo que  eles merecem".
Quem merece ter sua loja quebrada?
Quem merece ver monumentos pichados?
Quando foi que depredar se tornou direito de alguém?
Quanto menos agressivos formos, melhor.
Como é que se pode divulgar, pelo Facebook, vídeos dos quais não sabemos a procedência?
Vi um vídeo com pessoas carregando alguém ferido e a pessoa que veiculou o vídeo dizendo que a polícia impedia o acesso dessas pessoas para uma saída, socorrendo o ferido, enquanto outra disse, nos comentários, que estava lá e, ao contrário, policiais cercavam o ferido e quem o ajudavam, levando-os para fora da confusão. 
Alguém noticia que helicópteros estavam sobrevoando a avenida do tumulto e jogando bombas nos manifestantes. Sem nenhuma foto dos helicópteros, nenhum flagrante do noticiado. Num desrespeito ao momento.*
No mesmo vídeo, no post enganoso, a pessoa destratava o governador de Minas, falando barbaridades dele. Não coloco o governador Antônio Anastasia como "farinha do  mesmo saco" onde estão a maioria dos nossos políticos. Não por ser Minas. 
Mas, também, não tenho que provar nada pra ninguém, cada um pense como quiser.
Fico horrorizada com o tanto de babaquices que estão sendo compartilhadas no Facebook.
O jeito é me calar.
Mostrar o lado bom da vida, que de horrores já tive minha cota.
Hoje li que o rapaz (um dos) que caiu do viaduto está se recuperando bem. A foto que o Estado de Minas, dignamente, publicou não em manchete, mas num caderno interior, mostrando o corpo dele todo torcido, nitidamente com as pernas e os braços quebrados, está bem (os outros, tb), não corre risco de morrer. 
Então, vou me ater a fatos, não a boatos.
E ficar o mais calada possível.
Usufruindo da minha inteligência, da minha lucidez, do meu conhecimento.
Passei da idade de acreditar em tudo e falar abobrinhas num assunto sério.
Sou a favor de que o Brasil acorde.
Já dormimos demais, deitados em berço esplêndido.
Salve, pátria amada, Brasil.

(continuo sem título. Sugestão?)
*Hoje, 25/06, pela primeira vez li algo sobre helicópteros terem jogado bombas em manifestantes: (Pág.18 do caderno Gerais, jornal Estado de Minas) " Nos relatos apresentados aos promotores, os colaboradores do movimento relataram que um helicóptero da PM sobrevoou o local onde se concentravam manisfestantes e lançou bombas de efeito moral sobre a multidão. A comissão solicitou à Polícia Civil e ao Ministério Público apuração imediata das responsabilidades individuais daqueles que, de ambos os lados, iniciaram os confrontos. Mais de 1500 vídeos estão sendo analisados, além de depoimentos de manifestantes e policiais."
Na verdade, eu nem deveria ter começado esse assunto, estou "defendendo" Minas e a polícia mineira de quê, de quem?  Que pensem o que quiserem, deem crédito ao que bem entenderem.

9 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida amiga Lúcia
Gosto dos mineiros e do jeito peculiar de vcs serem brasileiros...
São efusivos nesta questão e nas coisas de família...
Muito estou a aprender com alguns amigos daí...
Ontem li algo que está de acordo, penso eu, com o seu post:

Melhor é calar e ser, do que falar e não ser. Coisa boa é ensinar, sob a condição que se pratique o que é ensinado.
(Inácio de Antioquia)


O título importa pouco quando o conteúdo foi tão claro... Parabéns!!!
Seja feliz e abençoada!!!
Bjm de paz e bem

Christian V. Louis disse...

Lúcia, compreendo perfeitamente sua posição e acredito que muitos interpretam mal nossas palavras, principalmente quando fogem do romantismo do senso comum.
Há um tempo não faço parte do Facebook, tenho um perfil para administrar fan pages, vazio, sem amigos e que nem entro, uso o botão de redirecionamento do blogue para divulgar novos posts aos parceiros que ali estão.
Eu não vou mentir, estou pessimista, muito protesto por tanta coisa ao mesmo tempo e compactuo que ficar misturando vandalismo com outros problemas sociais seja ficar "generalizando o óbvio" e até um modo de justificá-los. Eu recebi alguns comentários com esta opinião e discordo.
Vamos ver até onde isto vai dar.
Abraço e boa semana.

Cristina disse...

Olá, Lucinha!
Não se preocupe com o título. Você se expressou condignamente. É o que basta.

Precisamos agora sair do ufanismo e buscar vitórias pragmáticas, concretas - resultados.
As manifestações tateantes e empíricas requerem agora, um foco, e depois outro, até adquirirmos a postura batalhadora do cidadão atuante.

Beijinho quase mineiro.

Kellen Bittencourt disse...

é Lucia eu tbém estou perplexa com o que as pessoas pensam, acabei me desentendendo com uma prima que estava defendendo os vândalos dizendo que eles são vitimas do sistema, eu penso como vc, nada justifica essa selvageria toda, as pessoas por menos acesso que elas tenham, existe uma coisa que se chama caráter, e quem o tem, luta por melhores condiçoes de vida sem atropelar ninguém, enfim, p mim já deu esse assunto, espero agora as mudanças que virão a longo prazo! Bjooos

ML disse...

Sem sugestão de título, Querida, e quem disse que precisa?

FALOU E DISSE MUITO BEM!

Muito fácil culpar a polícia - não que todos "prestem" - mas, quando o caos se instala, até entendo que alguns se exacerbem (diferentemente do covarde/cretino/marginal uniformizado de autoridade que jogou spray de pimenta num cão).

No mais, tô gostando de ver que brasileiro vê, ouve e fala.
E que, se Deus quiser, vai continuar cobrando ÉTICA e retorno pelos altíssimos impostos que se nos impõem.

bjnhssssssssssssssssssssss

Liza Souza disse...

Eu lamento muito pelo que tenho visto ai no Brasil. O que comecou como uma boa oportunidade de lutar pelo que é certo e justo, caminhou para uma direcao totalmente oposta. Algumas pessoas perderam o foco e a razao. Peco a Deus que Ele traga paz e que pessoas inocentes nao tenham que pagar pelo erros de pessoas que distorceram tanto o que poderia ser uma boa chance de transformar o Brasil num lugar melhor para todos.
Beijos

Silenciosamente ouvindo... disse...

Respeito o seu sentimento.
Não é fácil falar de certos
acontecimentos até porque
acaba por haver sempre exageros
dos dois lados.
Um bj.
Irene Alves

Palavras Vagabundas disse...


Lucia, você é muito melhor que eu! Também me posicionei hoje em meu blog, mas indignada. Quanto ao Face, não compartilho nada que não saiba a procedência da informação, como o uso mais para trabalho continuo por lá.
bjs
Jussara

Clara Lúcia disse...

Oi, Lúcia.... gostei que excluiu o post anterior.
O título nem importa, o importante é vc se expressar como acha que deve ser, como vc é!
Tá tudo tão embolado que a gente nem sabe mais pra onde olhar.
Lá nos anos 80 não tinha internet e as informações não chegavam com a velocidade de hoje e às vezes não eram verdadeiras.
Hoje,apesar de toda tecnologia, ainda temos dúvidas se é isso mesmo ou não. Tanta gente falando a mesma coisa e cada um falando a seu jeito... como na BC da foto e 140 caracteres. A mesma foto vista por várias pessoas de modo diferente...
É complicado.
Vamos ver no que vai dar tudo isso e ter esperanças... já é alguma coisa.

Beijos