Ler é um bom remédio

Lendo muito. Muito em quantidade e a qualidade leva meu selo.
Óbvio que pesa a qualidade, não leio "porcarias", mas também não leio livros que me deixem "pesada".
Leitura para mim é, basicamente, distração. Leio sobre qualquer assunto, desde que a história me prenda.
Este ano li 7 volumes que falam dos Reis de França, denominados pela história francesa de " Os Reis Malditos". Os livros contam os fatos que aconteceram em parte dos anos 1300 , século XIV, Idade Média. Aborda os reinados de Felipe, O Belo, e seus descendentes. Livros de Maurice Druon, autor de "O menino do dedo verde", que muitos pensavam ser seu único livro. São 7 volumes, que podem ser lidos de maneira independente. (O rei de ferro, A rainha estrangulada, Os venenos da coroa, A lei dos varões, A loba da França, O Lis e o Leão e Um rei perde a França).
Li "O livreiro de Cabul", da jornalista norueguesa Asne Seierstad, que viveu por 3 meses com uma família afegã, logo depois da queda do regime talibã e conta a história de um livreiro, que apesar de ter bom ganho com suas livrarias trata a família com todos os  preceitos do fundamentalismo islâmico. Incrível ver o que é a vida das mulheres afegãs, possivelmente até os dias de hoje. 
Capitulei e li a trilogia 50 tons. Fiz até um post, mas ainda não quis publicá-lo. Gostei, com todos os erros do livro, a monotonia, o enredo bem pensado mas fracamente desenvolvido. Precisei ler, para poder falar do livro e entender o que levou a essa "histeria coletiva" das mulheres, que se encantaram por Christian Gray. Inclusive eu. Para mim, muito resumidamente, fiquei só com as história de amor entre os dois. O resto é bobagem discutir. 

 De Nicholas Sparks, autor de vários best-sellers da atualidade, cujos livros estão na ordem do dia, com histórias de amor açucaradas, que logo viram filmes, li "Um homem de sorte", que também já foi filmado, mas achei fraquinho demais, muito previsível, sem grandes emoções. (é dele o lindo "Diário de uma paixão").
Li o mais novo livro de Martha Medeiros, que já não surpreende com seu jeito, mas que continua escrevendo de uma maneira única, deliciosa. Um livro sobre as memórias das viagens que fêz pelo mundo, mas sem dar roteiros. Apenas o que passou nas viagens, suas impressões sobre os lugares por onde andou.
O livro chama-se "Um lugar na janela".
Agora engatei na leitura do livro da Danuza Leão, escrito em 2009, também sobre viagens: " De malas prontas", onde ela é mais específica, fala de hotéis, de passeios (dando nome de restaurantes, ruas, lojas, etc.), de preços, com a sua natural facilidade de quem conhece vários países, de muitas viagens. O livro aborda São Paulo, Buenos Aires, Berlim e Londres. São "causos" de viagens, também sem dar roteiros, sem pretender ser um guia. Uma Danuza ainda meio esnobe, nada a ver com a humilde colunista de jornal de hoje.
E tenho vários esperando sua vez: outro livro de MM, de crônicas, "Montanha russa"; 
"Sobre o tempo e a eternidade, de Rubem Alves; 
"O outro pé da sereia", de Mia Couto; 
"Nietzsche para estressados", de Allan Percy e 
"Os últimos lírios do estojo de seda", de Marina Colasanti, comprados por mim, com algumas indicações. 
E mais 2 que ganhei de aniversário: uma continuação de um livro lindo que li ano passado: "A esperança de uma mãe", de Francine Rivers, cuja segunda parte pode ser lida independentemente do primeiro e se chama "O sonho de uma filha"; e uma biografia da Princesa Isabel e seu marido, o Conde D'Eu, de Mary del Priore, "O castelo de papel". 
Alguma dúvida de que ler é um dos meus hobbies preferidos? Nem é hobby, é uma necessidade mesmo!

15 comentários:

Beth/Lilás disse...

Que maravilha querida Lúcia!
Ler acaba virando uma coisa visceral, necessária mesmo para nos fazer companhia e abrir a mente.
Muito bons os livros que você leu e escolheu. Só não leria este dos 50 tons porque não curto nada de best sellers e não tive o menor interesse nesta leitura, achei-a oportunista, sabes? Repito o que li noutro dia lá no Face: "Se o tal protagonista fosse feio e pobre e batesse na mulher, não viraria best seller".
O da Marina Colassanti deu-me vontade de ler agora e o da Mary del Priori estou louca pra comprar e ler também. Excelentes títulos amiga! MMedeiros é um vício, não posso ver um novo que compro e os da Danuza também, já li todos.
Acho que está ótimo, não temos que competir quanto lemos por dia, por semana, por ano. Temos que ter prazer na leitura e poder demorar pouco tempo, como também muito, o que interessa é isso, temos um olhar antenado para os livros.
beijos cariocas


Brechique da Dodoca disse...

Querida Lucia,
Já não leio como lia. Penso que mais vagueio ou borboleteio sobre os livros. Devem ser meus eus-bichos, não sei.
Senti comichões com essa sua postagem, quem sabe paro de vaguear ou borboletear?
Bjssssssssssssssss, quérida!

Sheyla - DMulheres disse...

Lucinha

Quantos livros, que gostaria muito de poder ter tempo para ler mais. Acho quew a vida se torna mais leve e menos chata quando podemos viajar por entre as folhas de um livro.
beijokas no coração e uma boa leitura.

Nina disse...

ahhh mas que danadinha de boa leitora é vc, Lucia!

so aqui ja peguei varias dicas de livros que quero comprar qd for ao Brasil, po, valeu mesmo... sabe que nao gostei de o livreiro de cabul? acho que me decepcionei :-(

Esse lance de se ler so o que gostamos, é mt bom, mesmo, teve um tempo que eu so lia livros pesados, querendo dar uma de intelectual, ai como eu era cansativa :-/ agora, so faco o que gosto, maravilha esse passar dos anos, nao?

A proposito, do Maurice Druon so conheco um, da minha infancia, o menino do dedo verde. AMO!!!! "Xisto era um anjo", ai meu Deus, li qd tinha 12 anos, tenho aqui em casa o mesmo livro. Sou apaixonada :-)

Beijao Lu

✿ chica disse...

Quantos livros! Que legal! E desses os que mais me chamam são os da Martha, que é leve, do cotidiano, como eu adoro!

Não gosto de nada sobre história, reis, etc,rs... Gosto de coisas light!


beijos,lindo dia! chica

Regina Rozenbaum disse...

Êita que delícia! Das suas escolhas vários já li...Rubem, Martha, Marina, Danuza...adoro essa mulherada e Rubem uma mania desde sempre. Ultimamente com o filho de perna engessada tô com o tempo mais curto ainda e o tempo reservado para a leitura tô tão cansada...mastão cansada...que durmo com ele aberto no rosto rsrs. Já já retomo minha rotina de leitura.
Beijuuss

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Lúcia
Primeiro, quero lhe agradecer a delicadeza de ter colocado o selinho que lhe ofertei e ainda divulgar o meu blog... Somos uns pelos outros sim... Obrigada, querida...
Também tenho uma necessidade imperiosa de ler e escrever...
O diário de uma Paixão é um dos meus preferidos...
Seja feliz e abençoada!!!
Bjm de paz e bem

Adelina disse...

Que delícia Lúcia! Vontade que me deu de parar tudo e ler, ler, ler... Bjos

Palavras Vagabundas disse...

Acredite se quiser, não li a maioria dos livros que você indicou, kkkk Nunca leio best-sellers enquanto são best-sellers portanto devo ler os tons de cinza daqui uns dois ou três anos e os outros também.
Marta Medeiros é sempre uma boa pedida.
bjs
Jussara

Renata Boechat disse...

Ando sem tempo pra ler, pois tenho muita coisa pra estudar, além de todo o resto, mas eu adoro, e vi que andamos lendo muita coisa em comum...inclusive a trilogia do famigerado Sr. Grey...coitado, vai ver que apesar das suas preferencias um tanto bizarras, pelo menos pra mim, ele deve ser uma boa pessoa...rsss

Liza Souza disse...

Lu, que delícia de post! Adorei saber do seu "hobby". Nao sabia que você gostava tanto de ler. Eu gosto também, mas tenho lido pouco. Acho que por causa da idade das criancas, ou por descuido da minha parte que acabo dando prioridade para outras coisas. Mas, nao deixo de ler o meu livro predileto todos os dias, pelo menos um pouquinho. Beijos, querida!

Luma Rosa disse...

Oi, Lúcia!!
Quando gosto de um autor, procuro ler toda a sua obra. Aconteceu com a Martha Medeiros e com a Mary del Priore. Esse último que você leu da MDP, ainda não li. Os primeiros livros dela são os melhores!
Ah, a Martha Medeiros me decepcionou com esse último livro que foge do emocional racional, típico da sua escrita. Sabia que o livro não traria roteiros de viagem, mas o que trouxe? Um livro vazio...
Beijus,

ML disse...

Eu só nas revistas e nos livros de "imagem". O último - comprei há 1 semana (é uma "poesia") - do Ronaldo Fraga: "Caderno de Roupas, Memórias e Croquis".
Livro pra "ler" sentada - na cama, não dá, vai quebrar a belezinha.
Na cama, relendo "1808" (a história centenária da "esculhambação do brasilis") e um da Danusa Leão (gosto das ideias dela: soube fazer limonada e caipirinha de cada limão...).

bjnhssss

Toninho disse...

Ler é mesmo uma prazer Lucia e aqui belas indicações numa generosidade linda.
Seguindo por aqui.
Um abração.

Elaine Gaspareto disse...

Lúcia, eu li a maioria dos livros que você menciona.
Tenho um outro da Asne Seierstad, De costas para o mundo.
Se estiver aqui comigo ainda vou te dar de presente, quer?
Mas vou olhar antes porque não lembro se me devolveram rsrsrs
Eu gosto do estilo dela, lento e pausado...

beijossss