Podia ser eu


  Procurei uma poesia onde pudesse encontrar sua confusão mental.
Procurei por respostas que ninguém pode me dar.
Encontrei dentro de mim a certeza
De que quando falha o amor, tudo o mais pode falhar.
O amor falha quando não acolho
Quando não escuto ou mesmo escutando, não atendo
O amor falha por omissão, por ignorância, por falta, por excesso.
Ando muito confusa e dói em mim saber que sua confusão não passará,
a minha, talvez, posso controlar.
Olho para a menina que você foi e que não enxerguei.
As brigas na hora da lição, você não aprendia por não querer, mas por  não poder.
Sempre condescendente, era melhor aceitar o diferente.
Não entender.
Eu tão frágil quanto você, governadas por mãos de ferro que pretendiam tudo saber e poder.
O passado não volta, a culpa não pode se instalar.
Podia ser eu.
Mas foi você.

(Imagem Google).
(Amigos, preciso desses desabafos, mas sei que incomoda um pouco falar do sofrimento. Por isso interrompi os comentários. Agradeço quem já comentou).

6 comentários:

Brechique da Dodoca disse...

Oi, querida Lucia,
posso sentir daqui a sua tristeza e preocupação! E, como estou distante do que tanto a aflige, talvez possa dar-lhe uma força através de minhas palavras. Vou tentar.
Não se culpe, por favor! Nesse seu texto vc chama para si a responsabilidade dos problemas da sua irmã: não foi vc quem os fez, querida, aceite a vida, o destino, as circunstâncias! Nem vc, nem ninguém, é responsável pelas "confusôes" de sua irmã. Podia ser vc, não é? Então...
Destino! Ou chame de desígnio divino! Pense que a sua função não é a de assumir uma responsabilidade sobre o que já está, mas o de viver bem a vida que recebeu, com os dons que lhe foram concedidos para pôr a serviço de quem precisar.
Não será o seu lamento nem a sua sensação de ter falhado, que consertará os fatos. Será o seu ânimo, a sua alma a serviço da vida que dará luz e alegria a quem precisar. Inclusive à sua irmã, à sua família e a você.
Bjsssssssssssssss e um caloroso abraço, quérida!
P.S.: "Não lastimes a rosa que se despedaça ao vento. É destino. Olha para a roseira e te alegra pelas rosas que ainda tem para dar." Lembra?

Lúcia Soares disse...

Cléa, não me culpo de verdade, mas fica subliminarmente...Não é culpa de ninguém, sabemos bem. Ou talvez tenhamos uma parcela, pois, por ignorância, não demos o devido valor ao problema. Mas assim como começou, vai acabar. Tudo passa. (não a doença, mas o descontrole). Estamos nos dando, vamos conseguir. Beijo e obrigada pela força.

Calu disse...

Teu desabafo comove profundamente nas palavras sinceras que escreveste, Lucia.
Mas, não tome a si uma culpa que não lhe pertence.As circunstâncias, muitas das vezes, fogem ao nosso planejamento, bem o sabemos e, em tempo passados, os males não eram tão bem conhecidos como agora, dificultando muitíssimo os tratamentos precoces.Não há explicações lógicas para os infortúnios.Acontecem!
Lembre-se de tua sempre presente afeição, apoio e carinhos que são fonte de cura e hão de agir rapidinho para este desfecho.
Cuide-se direitinho, em breve tudo isso passará.
Paz e bem para vc e toda a família.
Bjos,
Calu

Beth/Lilás disse...

Oi, querida Lúcia!
Faço ideia o seu sofrimento e dos que estão diretamente envolvidos e compromissados com ela, mas como nossas amiga acima disseram, não se culpe, por favor;
Eu também espero muito que este descontrole seja breve e que vocês consigam, com tanto amor e empenho a que têm se submetido, que tudo volte ao normal e, principalmente que sua irmã fique bem, sadia e tenha uma vida normal daqui pra frente.
Às vezes as coisas têm que ir bem longe para que todos, numa comunhão de ajuda mútua, consiga tirar a pessoa da escuridão.
Que a paz volte a reinar em seu coração!
um beijo e abraço apertado da amiga
Beth

Lúcia Soares disse...

Calu e Beth, obrigada pela força. Estamos sem chão, mantemos a esperança e o principal é que percebemos que estamos à mercê dos médicos, já passamos por 3, o médico que a acompnha há anos está em viagem, não há perspectiva de vê-lo a não ser em mais uns 15 dias; encontramos controvérsias quanto ao tratamento e, afinal, eles é que estudaram, supostamente sabem como agir, temos que confiar.
Como nem o bom nem o ruim duram para sempre, vai passar. Beijos e obrigada pelo carinho.

Monalisa Melo (Entre, a casa é minha ) disse...

Oi Lúcia...
Vim te conhecer através do comentário que vc deixou no blog da Deusa "Vasinhos Coloridos", onde vc escreveu um texto tão lindo e de tanta sabedoria sobre a criação de filhos.
Conheci seu outro blog também e vi a postagem sobre sua irmã. O que posso te dizer, é que continue fazendo por ela tudo o que sempre fez e Deus te dará força. Portanto, não se culpe de nada. As coisas acontecem quando tem de acontecer, e se Deus escolheu vc foi pq vc seria capaz, ele sabia que vc faria com amor, por amor e iria se dedicar. Eu sei que as vezes nós nos encontramos perdidos e sem força querendo largar tudo, mas nada como um dia após o outro. Tudo irá se resolver, continue tendo fé e orando que Deus te dará força.

Um forte abraço Lucia.

Monalisa...*