Deixe a raiva secar

Mariana ficou toda feliz porque ganhou de presente um joguinho de chá, todo azulzinho, com bolinhas amarelas.
No dia seguinte, Júlia sua amiguinha, veio bem cedo convidá-la para brincar.
Mariana não podia, pois iria sair com sua mãe naquela manhã.
Júlia, então, pediu à coleguinha que lhe emprestasse o seu conjuntinho de chá para que ela pudesse brincar sozinha na garagem do prédio.
Mariana não queria emprestar mas, com a insistência da amiga, resolveu ceder, fazendo questão de demonstrar todo o seu ciúme por aquele brinquedo tão especial.
Ao regressar do passeio  Mariana ficou chocada ao ver o seu conjuntinho de chá jogado no chão.
Faltavam algumas xícaras e a bandejinha estava toda quebrada.
Chorando e muito nervosa, Mariana desabafou:
"Está vendo, mamãe, o que a Júlia fez comigo?
Emprestei o meu brinquedo, ela estragou tudo e ainda deixou jogado no chão!"
Totalmente descontrolada, Mariana queria porque queria, ir ao apartamento de Júlia pedir explicações.
Mas a mãe, com muito carinho ponderou:
"Filhinha, lembra daquele dia quando você saiu com seu vestido novo todo branquinho e um carro jogou lama em sua roupa?
Ao chegar em casa você queria lavar imediatamente aquela sujeira, mas a vovó não deixou.
Você lembra o que a vovó falou?
Ela falou que era para deixar o barro secar primeiro. Depois ficava mais fácil limpar.
Pois é, minha filha, com a raiva é a mesma coisa.
Deixa a raiva secar primeiro.
Depois fica bem mais fácil resolver tudo."
Mariana não entendeu muito bem, mas resolveu seguir o conselho da mãe e foi para a sala ver televisão.
Logo depois alguém tocou a campainha.
Era Júlia, toda sem graça, com um embrulho na mão.
Sem que houvesse tempo para qualquer pergunta, ela foi falando:
"Mariana, sabe aquele menino mau da outra rua que fica correndo atrás da gente?
Ele veio querendo brincar comigo e eu não deixei.
Aí ele ficou bravo e estragou o brinquedo que você havia me emprestado.
Quando eu contei para a mamãe ela ficou preocupada e foi correndo comprar outro brinquedo igualzinho para você.
Espero que não fique com raiva de mim.
Não foi minha culpa."
"Não tem problema, disse Mariana, minha raiva já secou."
E dando um forte abraço em sua amiga, tomou-a pela mão e levou-a para o quarto para contar a história do vestido novo que havia sujado de barro.

Nunca tome qualquer atitude com raiva.
A raiva nos cega e impede que vejamos as coisas como elas realmente são.
Assim você evitará cometer injustiças e ganhará o respeito dos demais pela sua posição ponderada e correta.
Diante de uma situação difícil., lembre-se sempre:
Deixe a raiva secar!

(Texto postado no "De amor e de..." em 23/10/10.)
(Autoria desconhecida, recebido por email. Se sabe de quem é, identifique-o para mim, por favor.)

12 comentários:

Valéria disse...

Oi Lúcia!
É muito sábia a mensagem deixada por esta estória. A raiva realmente nos cega e embota a razão, daí para falarmos e fazermos algo que poderemos nos arrepender depois é só um passo. Algumas vezes já agi cega pela raiva e fiz besteiras de que ainda hoje me arrependo.rsss
Beijinhos e um lindo dia!

Heloísa disse...

Lúcia,
Esse é um conselho e tanto, embora existam situações que exigem reação pronta.
Embora eu ache isso, sou adepta de "deixar secar".
Lembro bem que já havia lido essa historinha no seu blog antigo, e talvez tenha deixado um comentário por lá.
Beijo.

✿ chica disse...

Essa mensagem é linda!temos que tentar segui-la sempre...Muitas vezes saímos já explodindo,srsr beijos,tudo de bom,chica

Aleska disse...

É um bom conselho, mas acho que tem ocasiões que a raiva é necessária. Ela mostra para os outros que não permitiremos que nos pisem.

Maria Luiza disse...

Uma graça de história. valeu a pena! Eu já a conhecia. grande abraço, Lúcia!

jose claudio disse...

Diziam antigamente que a raiva é a pior conselheira. E eu concordo plenamente. Esta estória é bem pedagógica a respeito. Abração, Lúcia. paz e bem.

pensandoemfamilia disse...

Bem interessante a metáfora usada nesta mensagem. Vou repassar com sua permissão.
bjs

Sílvia Gianni disse...

Oi Lúcia,
gostei muito do texto. Pois a raiva realmente não é boa conselheira, ela nos cega e podemos tomar decisões que iremos arrepender depois.
Eu sou meio explosiva, às vezes, mas passa logo. Ainda bem!
Beijos.

Palavras Vagabundas disse...

"Deixe a raiva secar!"
Grande conselho, só devemos nos esforçar paa seguir.
bjs
Jussara

ML disse...

Oi, Lucia: eu sou explosiva, tendo a falar primeiro, e relativizar depois. Quantas vezes fui injusta, apesar de "verdadeira", falando "na lata". Se esperasse um pouquinho não tinha deixado tanta gente que gosto tanto triste... Nem, sei lá, a caixa do supermercado que me atendeu mal porque provavelmente estava num mal dia...
Não tem nada mesmo que não possa esperar um pouquinho e possa ser dito de "cabeça fria". Ou não. Mudar a forma, não o conteudo.
Deixar o lama virar barro...
Ou deixar rolar...

A-DO-REI! Quero adotar.

bjnhssssssssssssssss

Georgia disse...

Muito bom. Sempre aprendendo por aqui...


Bjos

Socorro Melo disse...

Lúcia,

Ai, amiga, quem nos dera que aprendéssemos essa lição tão preciosa: deixar a raiva secar... É muito sábio esse proceder. Penso que quem assim faz, sabe dominar os próprios impulsos.

Paz e Bem!
Socorro Melo