Você é rica (o)?

 Recebi esse texto no Facebook, atribuido a Catón, jornalista mexicano.(Armando Fuentes Aguirre, 1938)
Não afirmo que seja dele, nada encontrei que mostrasse sua autoria, mas achei sua biografia interessante.
Gostei da sua figura. Segundo li, ele é famoso por seu humor. Foi locutor de rádio desde muito cedo e é formado em advocacia, mestre em Língua e Literatura e em Pedagogia. É considerado o escritor favorito da nova classe política do México.
Sendo dele ou não, o texto fala de algo que defendo muito, do que seja a verdadeira riqueza do ser humano.

“Tenho a intenção de processar a revista 'Fortune', porque fui vítima de uma omissão inexplicável. Ela publicou uma lista dos homens mais ricos do mundo e nesta lista não apareço. Aparecem: o sultão de Brunei, os herdeiros de Sam Walton e Mori Takichiro.
Incluem personalidades como a rainha Elizabeth da Inglaterra, Niarkos Stavros, e os mexicanos Carlos Slim e Emilio Azcarraga.
Mas eu não sou mencionado na revista.
E eu sou um homem rico, imensamente rico. Como não? vou mostrar a vocês:
Eu tenho vida , que eu recebi não sei porque e saúde, que conservo não sei como.
Tenho uma família, esposa adorável, que ao me entregar sua vida me deu o melhor para a minha; filhos maravilhosos, dos quais só recebi felicidades; e netos com os quais pratico uma nova e boa paternidade.
Tenho irmãos que são como meus amigos e amigos que são como meus irmãos.
Tenho pessoas que sinceramente me amam, apesar dos meus defeitos e a quem amo apesar dos meus defeitos.
Tenho quatro leitores a cada dia para agradecer-lhes porque eles lêem o que eu mal escrevo. (Esta achei ótima, agradeço também a você que me lê todos os dias!)
Tenho uma casa e nela muitos livros (minha esposa iria dizer que tenho muitos livros e entre eles uma casa).
Tenho um pouco do mundo na forma de um jardim, que todo ano me dá maçãs, o que iria reduzir ainda mais a presença de Adão e Eva no Paraíso.
Tenho um cachorro que não vai dormir até que eu chegue e que me recebe como se eu fosse o dono dos céus e da terra.
Tenho olhos que vêem e ouvidos para ouvir, pés para andar e mãos que acariciam; cérebro que pensa coisas que já ocorreram a outros, mas que para mim não haviam ocorrido nunca.
Sou a herança comum dos homens: alegrias para apreciá-las e compaixão para irmanar-me aos irmãos que estão sofrendo.
E tenho fé em Deus que vale para mim amor infinito.
Pode haver riquezas maiores do que a minha?
Por que, então, a revista "Fortune" não me colocou na lista dos homens mais ricos do planeta? "

Há pessoas pobres, mas tão pobres, que a única coisa que possuem é ... DINHEIRO.
Armando Fuentes Aguirre (Catón)

Não é pra se pensar? Claro que precisamos do dinheiro, sem ele não temos um teto, nem comida, nem vestuário, nem condições de nos educarmos e trabalharmos com prazer. A mensagem é que ter dinheiro não é ser rico. 
A célebre frase "dinheiro não traz felicidade", que agora é complementada com algumas outras, de gosto duvidoso, como "mas é melhor sofrer em Paris do que aqui", é sempre pensada, porque, de verdade, trazer felicidade ele não traz mesmo, mas que ele é necessário, bem vindo e esperado, sempre, claro que é.

17 comentários:

Liza Souza disse...

Adorei o texto e também acho que deveria ser citada na revista. rs
Beijos

✿ chica disse...

Texto legal e fala bem da mentalidade de uns tantos que vivem nesse planeta...rs beijos,chica

Pandora disse...

Tem algumas riquezas que dinheiro nenhum compra! #Fato

E sim, meu sonho é ter uma casa no meio do livros kkk E olhando para minha estante repleta de livros, meu irmão no pc e minha família em paz eu também me sinto uma pessoa rica!!!
_____

Lúcia, mandei um e-mail para tu, espero que vc tope a proposta!!! :)

Valéria disse...

Oi Lúcia!
Maravilha! Ele está mais do que certo, afinal no caixão não tem gavetas e só levaremos mesmo nossas lembranças e memórias. Enquanto se está correndo para se conseguir mais e mais dinheiro se esquece de tudo isso que ele falou.
E, menina, sofrer em Paris é melhor do que aqui. Ahhh dinheiro!rsssssss
Beijinho carinhoso!

Beth/Lilás disse...

Poxa, que texto legal!
Esta visão que este homem teve, junto com a maturidade, com o crescimento espiritual, moral e ético, infelizmente poucos têm, pois a vida atual, em todo o planeta, é ter, ter, comprar, comprar. A valorização do que realmente de valor nós temos, só conseguimos enxergar quando a perdemos.
um super abraço, carioca

pensandoemfamilia disse...

Olá Lúcia
Tem um convite para vc no meu espaço. Confira e se interessar será ótimo.
bjs

Macá disse...

Lucia
Lindo! Pra mim só faltam os netos, senão seria rica como ele. Mas eu chego lá.
beijos

Monica Lidizzia disse...

Dinheiro: coisa muito boa, maravilhosa, quero muito, adoro e respeito a ... COISA!
Comprar felicidade, não compra, nem saúde, mas que o objeto de troca (a coisa) facilita o viver como o conhecemos, é inegável, né não?
Lembrei de uma música do Barão Vermelho: Amor pra Recomeçar: "desejo que você ganhe dinheiro pois é preciso viver também e que você diga a ele pelo menos uma vez quem é mesmo o dono de quem Desejo que você tenha a quem amar...).

bjnhs

Misturação - Ana Karla disse...

Perfeito.
Também sou dessa valorização.
Xeros

Brechique da Dodoca disse...

Pois é, o mundo é feito de ricos, então! E ricos que nem se deram conta de tal coisa, ironia!
Muito bom o texto do "ricaço"!
Bjsssssssssssssssss, quérida!

Cláudia disse...

Adorei o texto, Lúcia. Nem sei o que dizer, porque ele já disse tudo. :)
Quando paramos para pensar em tudo o que temos é que percebemos o quão ricos somos, o pior é que vivemos nos lamentando, em vez de agradecer as bênçãos que nos são dadas todos os dias. Há tanta riqueza à nossa volta, é preciso é saber dar-lhe o devido valor.

bjs

Marly disse...

Olá,

Estava comentando em outro blog quando vi o título deste post, no blogroll, e tive de vir conferir, rsrs.
Ótimo texto concordo com o autor!

Um abraço!

Mauro S disse...

Oi Lúcia, obrigado pela visita, pelos cumprimentos... desde 2010, vamos para dois anos então?
Que legal, lindo mesmo!!
Gostaria de poder comentar em todos os blogs todos os dias como fiz em 2009/2010 até ter que parar, mas assim não dá mais, como não dá mais postar todos os dias, às vezes até faço isso, mas não é de praxe.
Prefiro manter as letrinhas chatas do blog, por segurança, sei que afasta muitos, mas antes quando não sabia delas também não recebia muitos comentários e alguns desconhecidos deixaram coisas e links muito feios, prefiro assim.
Enfim, muito obrigado pelo teu carinho, pela lembrança, pela amizade, nesta data e sempre.
Beijos, Mauro

Luma Rosa disse...

Entendo que as pessoas queiram valorizar o dinheiro, até porque sem ele ninguém sobrevive, ainda mais se você tiver um problema de saúde e depende de uma droga para sobreviver.
O texto não trata da praticidade da vida, fica apenas no campo filosófico. Tem uma frase de Emerson que gosto muito "Oh! Se os ricos fossem tão ricos como os pobres imaginam!". Por que achar que, por ser rico com dinheiro no bolso, a pessoa seja menos rica em espírito? O dinheiro também é tratado como recompensa e valorização do empreendedorismo em prol da humanidade, veja os prêmios Nobel.
Já imaginou que tamanho seria a lista da "Fortune" baseado nos valores que ele expôs de riqueza. Chega a ser arrogância se imaginar nessas questões o mais rico de todos; As pessoas são muito iguais e na verdade, o texto é para que as pessoas pensem em sua felicidade, que essa está bem perto e não onde a colocam.
Beijus,

Luciana disse...

Assim como ele eu tambem sou riquissima. Texto muito interessante.

Beijo e um otimo final de semana.

Luciana disse...

Assim como ele eu tambem sou riquissima. Texto muito interessante.

Beijo e um otimo final de semana.

Calu disse...

Lucia,
fiz um post sobre este texto com a mesma referência aqui trazida. Achei simplesmente sensacional o ponto de vista bem-humorado do autor trazendo a perceber aos leitores a verdadeira riqueza da vida.
Textos assim tinham de tornarem-se virais( como dizem).

Aproveito para lhe desejar um lindo e festivo Dia das Mães, cercada pelo carinho de todos os teus queridos.
Abraços carinhosos,
Calu