A TV que a gente vê

Não gosto de assistir a jornais da TV. Quando assisto é para me aborrecer, dificilmente se tem uma notícia boa.
Mas não é porque elas não existam. É porque o mau, o mal, a tristeza, a miséria, as catástrofes, sempre deram mais notícia.
Imaginem um jornal só com notícias boas: como fazer seu dinheiro render mais, onde comprar com menores preços, que destino dar à sua viagem de férias, com tantos lugares lindos pra descobrir, como ter sempre um sorriso nos lábios, como ajudar a seu irmão, etc., etc. Teríamos só o bem pra espalhar, não?
Como podemos responder ao "boa noite" dos apresentadores de telejornais, depois que eles despejaram só coisas ruins em nossos ouvidos e as imagens só nos mostraram cenas deprimentes, violentas?
Imagina um assalto espetacular a um banco, os bandidos muito provavelmente vendo as notícias e se deliciando com os detalhes, ouvindo opiniões e informações, medidas de segurança, coisas que nem pensavam que existiam, e maquinam um novo assalto, com mais técnica, mais garantia de sucesso.
Ando horrorizada com as cenas flagradas por uma câmera escondida, ou uma câmera de proteção mesmo, instaladas em algumas cidades, que mostram espancamentos, com todos os detalhes. Isso é assistido pelos adolescentes em rixa nas escolas, ou nas comunidades e lá vão eles aprender onde não andar, para não serem flagrados, qual a melhor arma a usar, como se livrar de testemunhas...
A TV deixou de ser entretenimento para ser um circo de horrores.
Não adianta dizer que "por isso mesmo não assisto mais a TV aberta". Temos que assistir e pedir por programas melhores, instrutivos.
Ontem vi, na Rede TV, no começo da noite, um programa entre escolas, com perguntas para os alunos. Primeiro é de admirar o quanto os garotos são mal informados, não têm cultura geral, mal sabem responder sobre as matérias escolares.  Mesmo assim, é um bom programa. Mas é no horário da novela das 6, da dona Globo. Quem vai deixar de assistir à novela para ver uma outra TV, que não  a Poderosa?
A guerra entre  TV's deveria ser para  se esforçarem pra ver quem faz o melhor programa, mas a Globo tem tanto poder que, em vez de querer se igualar ou superá-la, as outras TV's se equiparam e fazem entre elas a disputa para saber qual tem a pior programação.
Não se pode esquecer que a TV é um meio de comunicação e de diversão, seu acesso é ilimitado, quase todo mundo pode ter uma TV em casa. Assiste quem quer, é verdade, mas temos que pensar que pra muita gente ela é o único lazer possível.
E vem os domingos, por ex., que são dias compridos, que custam a passar, tendo que assistir a um monte de baboseiras, nem sei qual é o pior canal, mas é o que se tem, "não adianta reclamar".
E de tanto focar na classe menos privilegiada, que não tem como sair de casa pra ir ao cinema, ou ao teatro, ou a um passeio num parque, os programas mostram a pobreza, a miséria de muitos, levam-nos de volta para terra de onde sairam ou dão a uma família uma casa toda montada, cheia de eletrônicos e detalhes desnecessários, enfim, querem dar ao povo pão e circo, que é o normal desde que o mundo é mundo.
Gosto muito de ficar em casa, televisão me distrai, mas mesmo quem tem TV a cabo às vezes se vê passando canal por canal e não encontrando nada de interessante, ou então filmes e programas repetidos à exaustão.
"Ah, mas vai ler um livro, vai fazer um artesantao, tem tanta coisa pra se fazer em vez de ficar na TV..."
Tem, mas tem também aquela hora que só queremos descanso, diversão, ler vai demandar mais atenção, fazer arte precisa de disposição, senão nem um botão se prega direito, então há dias ou momentos que só se quer uma TV pela frente.
Dos telejornais aos programas matutinos, dos filmes repetidos quase que mensalmente ao programa de culinária e artesanato, dos programas infantis com seus desenhos manjados e herói sem graça aos programas de calouros, dos programas de auditório aos religiosos, quase nada se aproveita na TV. E não é só na do Brasil, é na TV como um todo.
Está faltando musicais, programas de verdadeiro entretenimento, sobram novelas medíocres, com personagens caricatos e pouca alegria.
TV não é retrato do mundo, tem que ter magia, ser educativa e distrair-nos exatamente das maldades e dos negativismos da vida.
É uma caixinha mágica, basta apertar um botãozinho. O intuito talvez tenha sido de que os programas seriam só para diversão e informação e acabaram trazendo para a telinha um mundo de horrores.
A vida real é assim, como é mostrada? Claro que não. Resolveram mostrar o lado podre da humanidade.
Ainda assim, gosto de uma TV,  sinto falta, há momentos que ela é uma companhia.
Mas é preciso que a programação se transforme, que a TV seja entretenimento, informação, educação.
Um descanso na correria do dia.

20 comentários:

Macá disse...

Oi Lúcia
É verdade, geralmente ficamos com o controle remoto na mão, indo e vindo e...............nada.
Eu gosto de assistir alguns seriados, tipo Law and Order (sem ser o SVU que é muito forte), House (sérios)e Big Band Theory (com esse eu me divirto muito).
Assisto a novela das 6hs quando dá tempo. Gosto das novelas desse horário, são sempre mais lights.
beijos

SHEYLA - DMULHERES disse...

Querida Lúcia, concordo com você em gênero, número e grau. Nem assisto mais novelas , nenhuma me interessa mais, amo alguns seriados da tv fechada e é nela que passo poucos (mas bons)momentos assistindo filmes.

Beijos, bom final de semana
Sheyla
http://blogdmulheres.blogspot.com

SONINHA disse...

Lúcia querida!
Concordo 100% contigo! Foste perfeita!
E quando fazem filmes sobre bandidos, violência das favelas, traficantes... Não dá para aguentar, não é mesmo?
"Eu detesto muito tudo isso", parodiando aquela lancheria multinacional.
Novelas não assisto há muitos anos.
E na tv paga nem sempre se encontra programas de qualidade. Não tem sido fácil. Como disseste: vamos fazer outras coisas!
Beijos, amada!

✿ chica disse...

Tens mesmo razão.Passamos o tempo todo,quando queremos assistir algo, trocando de canais. Eu pouco assisto, mas gosto de programas de entrevistas, algumas vezes a novela das 9 e depois passo para um canal local , um programa variado de entrevistas.

Gosto do Jô, Maria Gabriela e muito pouca coisa mais... Mas não vejo muito! beijos,chica, ótimo fds!

Heloísa disse...

Lúcia,
Ainda hoje cedo, lendo os jornais, pensei exatamente nesse tema que você está colocando.
Tanto a imprensa escrita, como a falada, parece que está se especializando, cada vez mais, em mostrar os dramas, os fatos chocantes, as tragédias, as aberrações da sociedade.
Tudo bem que, muitos desses fatos ocorreram.
Mas muitos deles não precisariam ser divulgados da forma que são.
Acho que a mídia está muito destrutiva. Parece que tem a intenção de desmontar todas as instituições.
E a TV, particularmente, está cada vez mais deseducativa. Pobres crianças e adolescentes.
Beijo.

Liza Souza disse...

Lu, acho a TV brasileira uma vergonha e evito o máximo. Sinto falta de assistir algo em português, entao sigo algumas novelas, mas na maioria das vezes comeco a seguir e sao tantas bobagens que nao dou conta e acabo desistindo no meio do caminho. Parece que os programas tem que ser inspirados ou nas piores coisas do mundo: maldades, assassinatos, vingancas, traicoes, fofocas ou em sexo, com homens e mulheres exibindo seus corpos em horários que tornam tudo ainda mais absurdo e intragável. Levei um susto quando estive ai e vi uma sobrinha do Bebeto de 10 anos conversando sobre o BBB. Dificil demais, né? Beijos querida

Beth/Lilás disse...

Lúcia, amiga querida!
Regresso ao mundo virtual e vejo que ainda é o melhor divertimento ao meu ver, principalmente lendo um post como o seu, tão claro, direto e verdadeiro.
Nos dias em que minha mãe esteve por aqui na semana passada, ficou difícil encontrar um canal que não a deixasse deprimida ou preocupada, tantas notícias horríveis, até a Ana Maria Braga já de manhãzinha, explora casos abomináveis e que deixam a pessoa desanimada para encarar o dia e a vida.
Ontem, aguardei para ver o programa que sempre curti na tv aberta, que é A Grande Família. Voltou com abertura nova, legal até, os artistas mais velhos com novas plásticas no rosto, mas o formato, totalmente direcionado a um público que se interessa por baixarias e pobreza, tanto intelectual quanto social. Que desfile foi aquele, com aquelas roupas horríveis, forçando o uso pelas mulheres e moças de comunidades pobres e que acabam influenciadas a se vestirem e portarem-se como mulheres vulgares e sem classe???!!!
Eu acho que a televisão brasileira está prestando um desserviço à nossa sociedade, empurrando-a mais e mais para a coisa chula e burra.
Mas, é como você bem disse, tem uma hora que só queremos ver, ficar zapeando, relaxados em nossos sofás.
Seu texto deveria ser levado aos meios de comunicação.
Volto com alegria e o carinho de todos os amigos, só falta ainda inspirações.
bjs cariocas e carinhosos

ML disse...

Eu geralmente assisto TV enquanto teclo - ou vice versa. Então "meio" que presto atenção ; > )
Mas, se for desgraça, eu mudo logo de canal - preciso saber não. Programas que eu realmente gosto são Manhattan Connection, Marília Gabrila entrevista, 50 por 1 (acho hilário)Estudio I, algum documentário e filmes. Novela, claro que assisto, mas... com o micro ligado ; > )
E pra quem tem criança em casa CENSURA! Tem banalidade e violência demais!

bjnhs

Calu disse...

Oi Lúcia,
é fato sabido: a TV educa, para o bem e para o mal. E,as nossas tem se esmerado na 2ªopção.È preciso um trabalho hercúleo para despertar , principalmente nas crianças e jovens, um olhar crítico para a programação das tvs.Com uns poucos, consegue-se acionar o botão de alerta, mas os muito enfeitiçados são maioria.
Enquanto predominar a importância do ganho sobre a do ser humano, estaremos jogados nesta"cachoeira"de barbáries televisionadas.
Só que não desistiremos de falar!!!
Tamos aí!
Bjos,
Calu

Lívia Azzi disse...

Olá, Lúcia!
Quase não vejo TV, quando vejo há algumas coisas interessantes, mesmo nos canais abertos, mas muita bobagem também. O jornal que prefiro acompanhar é o Jornal da Cultura e um programa que vejo e me diverte todas as terças é O Hora da Coruja na Just TV. E só. Agora, dificil mesmo é ficar ao lado do Alex com o controle na mão. Ah, soube de um jornal impresso só de notícias boas, mas faliu. Beijinhos

Georgia disse...

Lúcia, é por essas e outras que eu desisti de ver a TV brasileira que passa aqui. Porque é muita desgraca, eu saía traumatizada, decepcionada, horrorizada, preocupada com minha família e amigos no Brasil.

Sim, seria muito bom ter só noticias boas nas TVs. Bondade geraria bondade, assim como gentileza gera gentileza. O caso é que as TVs passam miséria e outras aberracoes e isso tem gerado essas coisas mais do que deveria ser.

Um bjao e uma linda semana pra vc

Unknown disse...

Vc está certa Lucia; a TV virou mesmo uma descarga de noticias tristes, ruins, deprimentes. É uma pena!!! Bj

Cissa Branco disse...

Lúcia,

Há muito tempo a televisão deixou de ser um canal de informação aqui em casa, dificilmente assistimos, nos inteiramos do que acontece pela internet. O que mais me incomoda nem são as programações, porque são feitas para ser consumidas sem questionamentos, me cansa o discurso, a ideia de que somos todos acéfalos.
Grandes beijos e ótima semana

Bia Jubiart disse...

Lúcia, que texto excelente!

Dia de domingo, não vejo TV, é um circo montando, por que até o circo natural está sumindo...

Aqui temos parabólica, se salva TV Cultura e Canal Futura, pena que os documentários se repitam muito. Os humoristas da MTV também são bem criativos e ácidos, eu gosto!

Domingão aqui é DVD!

Uma semana luz p/ vc1

Beijooooooooo

Valéria disse...

Oi Lúcia!
Perfeito seu texto! Sou totalmente de acordo. Quase não assisto televisão e fico mais irada quando até na tv paga não está passando nada bom, com uma programação muito repetida. A violência e a exploração das minorias é vergonhosa, fazem disso o carro chefe das emissoras, quem vai ganhar na exposição da desgraça alheia? Tudo pelo ibope!
Beijinhos e uma semana de paz!

Um Amigo! disse...

Boa noite, Lúcia, há muito tempo me queixo das mesmas coisas.
A maldade impera nas notícias dos telejornais e os filmes são repetidos aos extremos.
As novelas dão maus exemplos, e os reality shows de uma certa rede, sem citar nomes, é sem-vergonhice pura, desculpe o termo.
O noticiário vejo pela internet, escolho a notícia.
Sou contra as pessoas que dizem que os jornais e as novelas se baseiam na vida real.
Filmes repetidos e violentos também não dá mais, os exemplos são os piores.
Vi um filme de um assalto a banco que era uma verdadeira aula ao bandido para que fizesse igual, só não lembro o nome, infelizmente não ensinam as coisas certas.

Sigo na internet escolhendo o que é bom para mim ler.

Beijos do amigo Mauro.
(Também pelo blog Koisas e Coisas)

Misturação - Ana Karla disse...

E assim a TV vai ensinando da melhor maneira, aos assassinos, bandidos como roubar, como matar.
E nossos jovens, coitados, cada vez menos de cultura.
TV Globo é um horror, mas ela dita e o telespectador acata e aplaude.
Lamentável.
Também gosto de assistir, mas há momentos, e muitos momentos em que não encontramos nada a aproveitar.
Grande texto Lúcia.
Um xero grande

She disse...

Minha querida! Seu post está ESPETACULAR! Realmente estão assassinando a TV e consequentemente jovens e adultos... Até a Ana Maria Braga que era e sempre foi um programa leve e de entretenimento, agora já começa daquele jeito: se espremer sai sangue. Já no início ela acumula todas as desgraças, do dia e da semana, despejando de uma vez só em cima do telespectador. Afff! O pior é que a gente grita e grita e nada muda, só piora... Os jovens não sabem nem escrever o português correto querida, o be-a-bá da língua nativa, o que dirá saber cultura geral, é um absurdo, mas o que mais me impressiona é o descaso das famílias brasileiras com os seus jovens... Pois uma coisa leva a outra e uma desgraça nunca vem sozinha, infelizmente! Parabéns pelo post e pelo texto! ;)
Beijo, beijo!
She

Ana disse...

Perfeito!

Que desperdício tantas horas de programação de péssima qualidade, num país que precisa tanto de informações e cultura...

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

aqui em casa tinha a Record e a Globo. mas com todo o sensacionalismo que fizeram na época do terremoto (principalmente a Record) mta gente, inclusive eu, andou cancelando os canais, pq tava demais, era até deboche com a cara da gente aqui. a situação por si já era séria, mas avacalhar daquele jeito foi demais.

fora o conteúdo, é só novela boba... o jornalismo, os repórteres parecem que falam com bebezinhos, naquele tom estranho e mãozinha pra lá, mãozinha pra cá.

a tv, eu acho que já foi boa. antigamente se fez mta novela boa, bons programas, musicais... tempos do Boni, da Record musical, da Tupi que lançava umas novelas boas...a Excelsior tb, cheia de inovações. hj em dia é qse um veículo descartável, pouca coisa se aproveita. já pensou, passar o domingo vendo Gugu e Faustão? afff

bem pensada a reflexão. as pessoas precisam ser menos passivas em relação à tv, não ver "o que tá passando" e apenas isso.
bjs