O tempo


E aí? É para aceitar, simplesmente? É uma verdade absoluta?
As coisas não mudam quando não queremos.
Embora os medos, a falta de ousadia é uma escolha.
As coisas não mudam quando nos acomodamos, quando não nos esforçamos.
Ter medos pode paralisar o curso de uma vida. Não de um jeito ruim, apenas podem nos impedir de seguir um rumo diferente.
Tarde, creio que nunca é. Pode demorar, pode não ter o mesmo sabor, mas se acontece é bem-vindo.
Ou sonhamos e buscamos mudanças, ou estas não nos atraem. Mudar o quê, para quê, por quê?
Acostumarmo-nos ao que temos, ao que veio. Acreditamos que tinha que ser assim, que está bom. Aceitar, deixar-se ficar ao sabor dos dias que se seguem, mesmo que mornos, pode ser a melhor solução, quem sabe?
Acreditar que o melhor é agradecer o que se tem, "para que não venha algo pior".
Vida cheia de clichês, conformar-se, obedecer, acostumar-se, é muito mais fácil.
Nada muda quando não queremos.
Aceitar o que vem talvez seja covardia, mas talvez seja simplesmente o medo.
O medo paralisante, que diz que "não se mexe em time que está ganhando" e se leva o jogo até o fim, cumprindo a partida. 
Se ganhou ou se perdeu, depende do ponto de vista.
Pode ser medo.
Pode ser tarde.
Não se sabe, às vezes.



2 comentários:

✿ chica disse...

Gostei de tuas "filosofadas" e reflexões. O tempo e se é cedo, tarde, não saberemos... O melhor é viver do jeito melhor que pudermos, fazendo tudo o que nos for possível... beijos, lindo fds! chica

Maria Gloria D'Amico disse...

Estas tuas reflexões, são as que igualmente faço. Principalmente aqui: mexer em time que está ganhando.
Ahhh... e as crenças, como são grudentas e nos cegam. E a maioria são de família, vivem por muito tempo, quase imortais.
Muito bom Lúcia.