Podemos falar mal do Presidente...


 "Ninguém é igual a ninguém. Todo ser humano é um estranho ímpar."
 - Carlos Drummond de Andrade -

 Época da ditadura ....
 
 Na época da chamada ditadura...
 Podíamos namorar dentro do carro até a meia- noite sem perigo de sermos mortos por bandidos e traficantes.
Mas, não podíamos falar mal do presidente.
 
 Podíamos ter o INPS como único plano de saúde sem morrer a míngua nos corredores dos hospitais.
 Mas não podíamos falar mal do presidente.
 
 Podíamos comprar armas e munições à vontade, pois o governo sabia quem era cidadão de bem, quem era bandido e quem era terrorista.
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.
 
 Podíamos paquerar a funcionária, a menina das contas a pagar ou a recepcionista, sem correr o risco de sermos processados por “assédio sexual”.
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.
 
 Não usávamos eufemismos hipócritas para fazer referências a raças (ei!negão!), credos (esse crente aí!) ou preferências sexuais (fala! sua bicha!) e não éramos processados por “discriminação” por isso.
Mas, não podíamos falar mal do presidente.
 
 Podíamos tomar nossa redentora cerveja no fim do expediente do trabalho para relaxar e dirigir o carro para casa, sem o risco de sermos jogados à vala da delinquência, sendo presos por estar “alcoolizado”.
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.
 
 Podíamos cortar a goiabeira do quintal, empesteada de taturanas, sem que isso constituísse crime ambiental.
Mas, não podíamos falar mal do presidente.
 
 Podíamos ir a qualquer bar ou boate, em qualquer bairro da cidade, de carro, de ônibus, de bicicleta ou a pé, sem nenhum medo de sermos assaltados, sequestrados ou assassinados.

Mas, não podíamos falar mal do presidente.
 
 Hoje a única coisa que podemos fazer...
   ...é falar mal do presidente!
 
 ... que merda !
 
  (recebido por e-mail, sem autoria)

Bons tempos, maus tempos, depende de cada visão.
O que sei é que a vida passa e vamos vivendo de acordo com o que se nos apresenta. Este texto não é muito atual, porque "delinquência" estava grafado com trema. rs 
Enfim, só para descontração. Rir um pouco, porque tudo está tão pesado, as pessoas andam irritadas, inconsoláveis com muita coisa.
O que seria bom mesmo é que vivêssemos novos tempos, com mais certezas, mais segurança, menos bandidagem em todas as áreas. 
E nunca mais precisar falar mal dos nossos presidentes. 
Que os eleitos daqui para a frente honrem o cargo e governem pelo povo, para o povo, como deve ser numa verdadeira democracia.

9 comentários:

Néia disse...

Oi Lúcia...Muito bom este texto bem como a reflexão sobre ele...Realmente quase que viver cheio de algumas regras idiotas virou um saco...Uma ótima semana. Voltarei com mais frequência. beijos.

Marly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
✿ chica disse...

Gostei muito desse texto e gostei das tuas palavras ao final... Torcemos para que um dia apareçam novas caras na nossa política, pois as que saíram e as que agora lá estão, nos enchem de nojo e vergonha. Só podemos falar mal deles, não só dos presidentes.A coisa tá descaradamente porca, nojenta, imbecil! Não tenho mãos saco e só espero novas eleições, se é que pode aparecer alguém nesse Brasil em quem confiar. Nem acredito mais nada: chegam lá e viram corruptos! Que coisa feia! bjs, chica

Maria Gloria D'Amico disse...

Olhe Lúcia, somos um povo desmotivado, desencantado. Nem sei se a Mariana vai viver em um Brasil melhor, pois o que se passa, não vai ser erradicado nem a médio prazo. É muita sujeira.
Mas o texto é bem interessante e sempre lembro dos anos 60 e 70, de uma certa forma, havia tranquilidade. Lembro que minha avó, que era pensionista, vendeu a casa dela, dividiu o dinheiro para as duas filhas e foi morar de aluguel e um ótimo apartamento. Usava a saúde do governo, que era boa e tinha uma vida bem satisfatória. Teve quatro netas e deu de presente para cada uma o enxoval completo, quando casaram. Andava pela cidade de São Paulo só de táxi e ainda, viajava com as irmãs. Hoje, o que vemos da vida de um aposentado? Não temos nenhuma segurança e em nenhum sentido.
Mas, vamos seguindo, que tudo na vida muda, se transforma e tem o seu tempo certo.
Um beijo, bom domingo e semana.

pensandoemfamilia disse...

O texto retrata uma certa tranquilidade que nos falta hoje. São tantas regras e desmandos. Não temos nenhuma segurança para tempos melhores, mas mantemos esperanças, pois sem ela o mundo fica árido.
bjs

Ghost e Bindi disse...

Olá, e prazer em conhecer seu blog!
Sim, vivemos uma época em que o passado nos parece um lugar e um tempo melhor para se estar. Na verdade, tudo o que passou sempre parecerá melhor, abrandadas as lembranças ruins e as boas, comparadas com o presente, sempre parecerão mais lustrosas. Parece que vivemos um tempo de transição...muita sujeira sendo tirada debaixo dos tapetes, tudo de pernas pro ar, mas é assim mesmo quando se limpa a casa.

Fico pensando nos antigos romanos, ao término de seu longo Império...a decadência de costumes, a corrupção, deviam ser bem parecidas com o que vivemos hoje, e imagino o que devem ter passado aquelas pessoas enquanto Roma agonizava e se esvaía e dava lugar a um novo mundo, do qual somos sobreviventes. Espero, sempre otimista, que o atual império da corrupção seja a transição para um mundo mais moralizado e digno.

Um abraço!
Bíndi & Ghost
http://esquinadosversos.blogspot.com

Clara Lucia disse...

Ultimamente está tudo muito chato. Tenho preferido ficar quieta no meu canto a confrontar opiniões diferentes. Nem isso dá vontade de fazer, dize o que penso e no que acredito. Mas pra que serve minha opinião numa rede social? É a pergunta que tenho me feito ultimamente.
Um bom texto. Pensando aqui que vivi o fim da ditadura e não me lembro muito bem... era criança ainda.
Uma linda semana pra nós, querida maninha!
Sobre o post anterior a esse, do sapato, gostei! Hoje fui numa loja de departamentos comprar calças pra minha filha. Tinha uma arara com calças em promoção. Escolhemos duas e fomos ao caixa. O preço das que escolhemos não era aquele descrito na arara. Estavam no lugar errado. Mas, por bom senso, fizeram com o preço da arara. Bom, né? E nem precisei discutir. Feliz da vida hoje!

Pepa disse...

Muito verdade !
Hoje só podemos falar mal do presidente, e olhe lá... pode ser que as formas de falar também nos sejam retiradas. E continuamos nessa água terrível.
Mas vamos continuar... falando mal do presidente (porque "nóis" é dessas, srrsrs) e torcendo para que nosso mundo tome outro rumo !!

Bjus 1000 minha querida

Maria Izabel Viégas disse...

Lúcia querida,
Na ditadura , se bem me lembro, falávamos mal do presidente. Claro, que com muito cuidado. Era uma geração irreverente .
Se foi má, foi_ assim como todas as ditaduras.
Inclusive a mais democrática de todas as ditaduras __ A TAL DEMOCRACIA.
Que até hoje não conheci.
E, sim, falo mal do presidente , daqueles que foram os mais corruptos, que acabaram com um país que era há 12 anos um exemplo de manter-se razoavelmente bem numa crise mundial. O mundo ficou bem mal. E nós estávamos bem.
Como ou falar bem de quem roubou bilhões se eu conto mil reis?
Pelo que me lembro , na minha época de criança bem pequena, todos tinham que ter "o retrato do velho" na parede. Meus pais bem mais altivos, tinham um pequeno dentro da cristaleira. Isso porque meu pai estudou na Escola Militar de Realengo na mesma turma que Getúlio. E recebia no Natal cartões com mensagens dele.
Eu achava o máximo. Mas meu pai dizia que ele não era um dos melhores alunos. (irreverente pai).
E vou falar mal do Temer , do que vier se continuar a ficar sem Educaço, Saúde e Economia restabelecida.
Falo mal de quem quiser.
Se for Poder já é suspeito rsrsrs
E o JFK era amante da Marylin Monroe ! Safado.
Beijinhos, amada!