Porque não faço dieta

Dieta é o conjunto de alimentos e bebidas ingeridos usualmente por uma pessoa. A palavra "dieta" tem origem no latim diaeta, que vem do grego “díaita”, que significa "modo de vida". As dietas podem ser modificadas e adaptadas com diferentes objetivos, de acordo com as necessidades nutricionais ou restrições alimentares de cada um.
Não faço dieta restritiva porque já fiz muitas, desde os meus 30 e poucos anos.
Dieta restritiva é só para quem tem problema de saúde.
Glicose alta? Cortar o açúcar e alguns carboidratos.
Colesterol alto? Cortar gordura animal e alguns carboidratos.
Problema renal? cortar isso e aquilo.
Ácido úrico alterado? Não coma isso e aquilo. 
E por aí vai.
Mas se estamos com tudo em dia, só queremos mesmo perder peso, o jeito é aprender a comer.
Comer menos, comer variadamente, priorizar verduras, frutas, legumes.
O segredo de comer e não engordar é um só: gastar o que se come.
O resto é blá blá blá, é conversa para boi dormir.
Se você não tem restrição a determinados alimentos, pode comer de tudo. T U D O mesmo. Só que com bom senso, com comedimento.
Nenhum alimento faz mal - desde que você não tenha restrição a ele - e nenhum alimento engorda. 
Quem engorda é você.
Não adianta se privar de vários alimentos. Vai emagrecer, sim. Mas não vai dar conta de passar a vida inteira sem eles e quando voltar a comê-los, achando que agora já sabe dosar, mas enfia o pé na jaca, pois a vontade é muita, vai engordar tudo de novo...e de novo vai restringir a alimentação ... e de novo vai voltar a engordar.
Não falo para desanimar ninguém, falo por experiência própria.
E fuja de remédios, que só ajudam momentaneamente, depois têm o poder de fazer você ganhar mais peso ainda...
Uma alimentação equilibrada é o certo.
Em pequenas quantidades.
Cortar pães, para quem ama pães, não tem sentido...Vai sonhar com pão, vai voltar a comer até em horários que não comeria normalmente.
A dobradinha comerXgastar ganha tudo.
Sem exercício físico também se emagrece, desde que se incorpore bons hábitos de alimentação, mas para por aí, o peso se estabiliza, às vezes num ponto em que ainda precisamos emagrecer mais. É onde precisamos intensificar exercícios e chegar onde queremos. 
Esta parte também falo com certeza, visto que não gosto de exercício físico, nem uma simples e boa caminhada. Por isso há anos não engordo, mas também não emagreço, cheguei num ponto que "sei comer", mas sem exercício físico não consigo perder peso. 
Toda vez que leio no FB posts de amigas empenhadas em emagrecer, mostrando pratos restritivos, aquela comida saudável, que deveria fazer parte da vida, não de um período apenas, sei que não conseguirão, por mais otimistas que sejam. Vão emagrecer, mas voltarão a engordar, mais cedo do que um piscar de olhos. 
Não faço dieta para emagrecer, mas cuido do que como, visto que tenho o colesterol alterado e preciso de medicação para deixá-lo bom. O colesterol é fabricado pelo fígado, adoecemos mais por disfunção de fabricação dele do que por meio da alimentação. Isto quer dizer que não basta tirar a gordura da sua vida, seu organismo pode estar fabricando muita gordura e é uma luta perdida, se não tiver orientação médica. 
Dieta por conta própria, repetindo a que fez há 5 anos, por exemplo, também é perda de tempo. O corpo muda ano a ano, ainda mais a partir de certa idade e o que comíamos ontem e não alterava nada, hoje pode nos ser prejudicial.
Estar insatisfeita com o corpo é característica feminina e a briga com os hormônios dificulta demais.
Ir ao médico e iniciar uma atividade física é tudo de que precisamos para emagrecer. 
Mediu todos os elementos, está tudo em ordem? Sem restrição. Coma de tudo. Açúcar não engorda, gordura não engorda, glúten não engorda. Quem engorda é você. 
Coma menos e se exercite mais. Ponto final.

(Sei que "açúcar não engorda, gordura não engorda, glúten não engorda" é forte, sabemos que hoje todos os alimentos estão prejudicados por agrotóxicos, por branqueamentos, etc. mas sou de opinião que tudo que a natureza nos dá é saudável, desde que saibamos comer. E é só uma opinião, baseada na minha experiência.)

6 comentários:

Cristina Pavani disse...

Olá, Lucinha!
Quanta verdade, viu? Fazer do prato um "parque de diversões" tem levado a uma geração de obesos e a complicações de saúde.
Estou aqui numa dieta restritiva para o marido - glicemia alterada. Ele necessitava eliminar 14 kg e se foram 5... De agora em diante a lentidão se instalou. Espero que ele não desanime, é uma séria questão de saúde.
Eu sempre tive facilidade para me manter no peso pela genética de meu pai, porém ultimamente tenho que policiar a boca e chacoalhar o esqueleto, senão...

Beijinhos bem enxutos procê, amiga!

✿ chica disse...

Adorei e nunca fui dessas de cuidar disso e daquilo, mas sempre fiz bastante exercícios.Hoje nem tanto, bem menos do que deveria!!! Legal o texto! Linda semana! bjs, chica

Maria Izabel Viégas disse...

Lucia querida,

Nunca precisei de dietas até a chegada da dual menopausa. Dual, pois significou, por um lado, o fim de cólicas desde 12 anos de idade. E, num contraponto terrível, cuidados pois queda de hormônios é "barra pesada".
E no pacote aquele aumento de peso.
Depois de meu acidente na coluna, direto à nutricionista e não fiz dieta.
E sim, reeducação alimentar.
E que delícia , todas as roupas voltaram ao uso.
Faz bem à vaidade.
Concordo com seus pontos de vista "nada científicos" risos. Mas sensatos.
E é justo isso que sobra em você e falta na maioria.
Privar-se de um alimento.
Ou deixar de comê-lo pois é nocivo?
Por que hei de comer gorduras , encher-me de colesterol. pai e mãe faleceram com ateroesclerose.
E esse o fim que quero?
Todos dizem: Nós criamos o caminho.
Filosofando.
Então, coma melhor pelos caminhos!
Não entupa as suas veias.
Mas não se prive de comer o que gosta.
Só não coma como os antigos, felizes em "arrotar" à mesa!
E de resto, declaro: Comi , depois dessa minha operação de vesícula, após mses sem vontade nenhuma(perdi mesmo) Um deliciosos sorvete de creme.
com moderação pois não sou glutona.
Ando aprendendo muitas coisinhas que me fazem bem.
Não me policiar pois criei hábitos saudáveis.
Um beijo bem gostoso na sua bochecha linda!
Amote!

Maria Gloria D'Amico disse...

Nada mais é preciso dizer! Está simplesmente perfeito, direto e claríssimo!
Tanto que vou levar.
Um beijo Lú s2

Beth/Lilás disse...

Tás coberta de razão em tudo que disse e eu sou outra dessas que agora já não me fissuro com dietas, por outro lado, tento fazer exercícios, embora odeie ir pra academia, mas andar nas ruas nem pensar!
Não como exageradamente, tenho um peso fictício de meu prato e como legumes todos os dias, queijo, iogurte, comidas saudáveis. Mas, tem o grande vilão que me atrai, como um moço bonito, não posso passar sem um docinho no dia a dia. Então, fico naquela, perco e recomponho. kkkk
Ahhh é difícil emagrecer depois dos entas!
um grande beijo carioca e ... vai aí um cafezinho com biscoito de cereais!?

Celia Rodrigues disse...

Lúcia, texto muito lúcido. É verdade, os remédios são um engodo. Acredita que já tomei mais de uma vez? Mesmo com um peso de 57, 58kg? E voltei a engordar. Hoje estou com 60kg. Parece pouco, mas é pelo menos 9kg acima do meu peso ideal. Sou muito pequena e de estrutura fininha. Por isso resolvi mudar os hábitos, mas realmente não cortei nada, até porque já fiz isso antes e vi que não funciona.