A vida é azul?

Volta e meia aparece uma brincadeira no Facebook tentando nos definir. Hoje fui ver qual é "a cor da sua aura" e deu azul.
"A cor da sua aura mostra que você é uma pessoa sensível e compreensiva. Você é um pessoa equilibrada, tranquila e autoconfiante. Seus amigos costuma ver em você um porto seguro nas horas das dificuldades. Você é um excelente ouvinte e transmite paz às pessoas que buscam consolo em você. Tome cuidado, contudo, para não estar sempre a serviço dos outros e esquecer de si próprio."


Minha cor preferida sempre foi o azul, embora agora perceba o quanto é relativo, pq não temos roupas ou objetos apenas da cor preferida. Já passei anos sem nenhuma peça azul no armário e agora voltei para ela. Recentemente comprei 6 peças de roupas e 4 delas são azuis.
Não acho que seja equilibrada, ando me esforçando.
Nem um pouco tranquila, mas aparento.
Revendo minha vida, nesta última frase.

É sempre bom ser otimista, ver a vida com olhos "azuis", porque o azul remete mesmo ao equilíbrio, seja em que tom for. Mas a gente sempre "empaca" em algum problema e deixa as cores se misturarem e fazer uma verdadeira bagunça dentro de nós. 
 Ando muito cansada, embora não fisicamente. Tenho o peso dos anos nas costa, naturalmente, além do peso de mim mesma, do que não vivi, não acumulei (acho que esta é uma parte boa...), do que deixei de fazer para mim, servindo ao outro.
Não me arrependo, mas percebo o quanto é verdade que temos que pensar primeiro em nós, e depois nos outros. Até para socorrer alguém, "em caso de despressurização", primeiro colocamos a máscara em nós e depois no outro.
Assistindo ao velório do Eduardo Campos, vendo o desespero do filho dele, passando sem cessar as mãos nos cabelos (dele, o rapaz),  vendo a dor deles dividida com milhares de pessoas, sejam as que estão ali, sejam as que veem pela TV, angustia-me pensar na fragilidade da vida. Acho que meu "abafamento" de hoje é este, ver a dor dessa tragédia, o quanto somos passageiros desta vida.

 Aí, assisto a um vídeo, no FB, onde um rapaz sai pelas ruas pedindo um abraço aos que passam por ele e naturalmente mostram só que ninguém aceitou o pedido, somente os pobres moradores de rua. 
Que lição tirar? Que os humildes, os desvalidos da sorte, os miseráveis, são mais verdadeiros do que nós outros, os sempre desconfiados, os com pressa, os "que chatice esse cara pedir abraço em plena rua!", "e se" ele for um assaltante, um psicopata, que vai me esfaquear, me agredir, me passar uma doença? 

Gente que questiona tudo, como eu, é muito, muito complicada...
Hoje não estou azul, mas digamos que esteja com a aura amarela, dos raios fracos do sol, mesmo assim me aquecendo.
Hoje estou só eu, pensando em como sou influenciável.

9 comentários:

✿ chica disse...

Lucia, nem sempre podemos estar azuladas. Tentamos até, mas por vezes ao ver tanta coisa triste nos rodeando nos deixamos abater. Por isso ,tenho procurado nem ver muito do que a tv insiste em mostrar dessas tragédias todas. Nada adiante. Apenas rezo, tanto pela e para a PAZ quanto para que essa pobre família abalada por essa tragédia, tenha forças! beijos,linda semana! chica

DMulheres disse...

Pois, Lucia.. nem tudo é azul! Não sou muito desconfiada com os outros, aceitaria prontamente um abraço de um desconhecido rsrsrs Pensar em nós primeiro, estou começando a utilizar essa prática..
Certamente a dor do outro nunca é maior que a nossa... Se parássemos um pouco e deixasse de pensar em apenas "nós" e mais nos outros, poderíamos viver na paz e com mais amor!
Feliz semana, bjos
Sheyla.

Clara Lucia disse...

Também gosto do azul e olha, não sei se abraçaria o moço assim, do nada.
Sei lá, não é culpa dele e sim da situação em que o mundo está.
Mas adoraria andar pela rua e vir alguém me abraçar... Acho que choraria.Sim, com certeza choraria.
Essas brincadeiras do facebook eu não faço. Mas nada contra.
Lúcia, querida, beijos!

Toninho disse...

Pois azul é a cor da alegria diz a musica. Já outro diz que é a cor de Ogum, eu que vivo no meio de sincretismo, visto de azul, pela alegria e por Santo Antonio e pelo céu que adoro ver.
E o abraço que faz os corações se tocarem numa linda troca de amabilidade às vezes são deixados de lado pelo Oi.Vi o video é bem assim.
Ainda não nos desapegamos do Eu para viver bem o nós.
Uma bela semana a voce com meu terno abraço mineiro de flor.

Beth/Lilás disse...

Boa tarde, querida Lúcia!
Pois olhe, nem sempre temos dias azuis ou nossa aura azul ou lilás, tem dias que ela está de cor bem escurecida, mas o importante é que passe logo e enxerguemos a fragilidade da vida, por nós mesmos, sem precisar ver a dor alheia, mas reconhecer que a vida é um presente e que devemos aproveitá-la bem em todos os instantes.
Tenha uma ótima semaninha e um
abraço carioca lilás.

Lu Souza Brito disse...

Oi Lucia,

Fiz o mesmo teste e obtive o mesmo resultado que você. Minha aura é azul. :) Tirando a parte de autoconfiança, acho que o restante se encaixa com minha personalidade.
Por outro lado, sei que meus azuis tornam-se cinzas escuros com alguma facilidade. Sei bem quais sao minhas más inclinações e tendo melhorar a cada dia.
Por outro lado, aprendi a duras penas que sim, eu preciso estar em primeiro lugar na minha vida. Pode parecer estranho, pois sou muito nova pra falar algo assim (será?). Mas de fato, se a gente não se coloca em primeiro lugar, nem mesmo para ser um bom ouvinte a gente não serve, porque você reterá os problemas alheios, acumulará os 'lixos' dos outros.
Hoje em dia eu sou muito seletiva, e quando a razão me chama de egoísta, meu coração afirma que eu procuro paz e é o melhor que tenho a fazer.
Eu também sou de certa forma influenciável e estou aprendendo a ficar bem comigo mesma para nao deixar as coisas 'externas' me afetarem tanto. Como disse a Beth, agradeço a dádiva da vida, com todos os tons rosas, azuis e cor de chumbo e tendo aproveitá-la da melhor maneira possível.
Um beijo. Fique bem!

Cristina Pavani disse...

Oi, Lucinha!
Cê tá tão mineirinha neste texto!
A nossa melancolia reflete a alma se faxinando deste mundo tão oxidado.
Gosto da caixa de lápis de cor com seus tons degradê, e fazer um arco íris fica tão fácil, contudo tons monocromáticos nos atraem, seduzem, inspiram.
O preto e o branco, antagônicos, formam tons de cinza que combinam com nossas reflexões!

Bjs procê

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Lúcia
Vc é bem azulzinha sim...
Tenho certeza de que, quando voltar da viagem, a onda amarelada já passou...
Todos temos dias furtacores...
O azul é a minha cor preferida...
A sua essência não vai morrer...
É só uma fase...
Bjm fraterno de paz e bem

Nina Sena disse...

Nao há quem nao seja influenciável, querida Lúcia. O mal sempre nos contaminará...por isso evito ler e ver mts coisas, que sei, serao capazes de mexer comigo, que sou mt maria-vai-com-as-outras.
e deixei de questionar o mundo, isso nunca me levou a lugar nenhum.

Bjs e forca!