Considerações

Todos os dias leio frases e trechos de algum texto que gostaria de ter escrito. 
Pensar é natural e mais fácil. Colocar as ideais no papel é bem diferente.
Tive o dom? Se tive, estou perdendo-o...Ou tendo medo de expor minhas ideias, dar vida ao pensamento e usar a escrita. Com a minha idade, não devia ser o contrário? Não sou mais sábia, agora, aos 60 (e alguns) do que fui aos 20? Teoricamente, não sei mais, não entendo melhor as coisas, não sou mais capaz em tudo?
Claro que não! 
Resolvemos dar à velhice a capacidade de ser melhor. O ter tempo na vida, depois que já terminamos o ciclo de trabalhador produtivo, pais de família criando os filhos, etc.serve para exercitarmos o que, muitas vezes por falta de tempo, deixamos de fazer. Tudo bem, quando a velhice chega com a pessoa numa situação financeira confortável e a saúde em dia. 
No mais, ser velho não tem muitas vantagens, não...

Não podemos deter o tempo nem sonhar com os anos passados, pois isso só leva à depressão e à angústia.
Mas o que quero dizer é que perdi a capacidade de me emocionar a ponto de querer passar para o papel (ou a tela) o que me vai na cabeça...
Viver é muito complicado e ainda mais agora, vivendo na frente de uma telinha, sempre dispostos a discutir e impor uma opinião, todos nós donos das nossas verdades. Não é fácil.
Tem dia que tenho muita preguiça...
Hoje sei bem menos do que sabia.  Ainda penso mais do que devia. 
Hoje só quero da vida o bem-estar dos que amo. A minha saúde em dia. 
A paz de espírito tão necessária a qualquer idade.
Quero sol. Aconchego.

(Este não é um post sobre a velhice, pois que velha não me sinto, embora não esconda os anos. Mas a imagem mostra a disposição que podemos ter, sempre, independentemente da idade. E, principalmente, não ter a arrogância de achar que sabemos mais porque vivemos mais.Ou que nosso tempo já passou e estamos desatualizados...)

20 comentários:

✿ chica disse...

Gosto sempre de te ler.Escreves bem e deverias fazê-lo mais seguido aqui.Gostamos e sentimos saudades!

Quanto à velhice, não estamos nela, no AMPLO sentido,mas estamos,rs... E não acho que ela seja muito legal! Melhor idade? Nem pensar!
Mas vamos tentando levar nossos anos bem e fazendo o nosso melhor, sem deixar a peteca cair,( pois o resto já caiu por aqui,rs)..
Vamos que vamos que temos muiito pela frente e eu tenho muito a fazer ainda também!!!bjs praianos,chica

Carinho Sempre disse...

Lucia eu estou so agora chegando por aqui.Sou nova em seu territorio,e ainda nao pude ler tudo..gosto de escrever tambem,mas mais de ler e estou gostando de seus post e mais ainda agora seu blog..vou fazer o possivel para acompanha-lo..
Vamos indo com a idade,como voce expos, e uma lei que nao retorna,mas a vida e bela em todas as fazes.Se nao a aceitamos nao a achamos vantajosas.Voce e' o maximo...bem exclarecida e otimas ideias claras.Gostei.

Vera D disse...

Lucia, que texto lindo! que descoberta de seu dom - que definitivamente não diminuiu aos sessenta! Afinal, os sessenta são os novos quaren...não, acho que são os novos sessenta mesmo! Com mais facilidade de sair do supermercado, com a meia no cinema e com o cartao de estacionamento e a prioridade no banco (sim, sao essas as "vantagens"que a idade nos traz!)
Bjs, Vera do Fricotes do Intelecto.blogspot.com

angela disse...

que lindo Lúcia! tão bom vir aqui...bjs querida!

DMulheres disse...

Lúcia, querida

Que belo texto.. vc não devia parar de escrever, gosto de ler o que vc escreve, sempre me passa uma paz !!
Eu tenho que aprender a envelhecer.

Bjokas e bom final de semana,
Sheyla.

Ariadne Paixao disse...

Lúcia querida, vim matar a saudade....
Virei mais vezes, com certeza.
Lindo texto, vc tem o dom....

Marly disse...

Oi, Lúcia,

Concordo que os anos não trazem automaticamente o saber ou a sabedoria, mas acho que ao longo do tempo as pessoas - geralmente - adquirem sim um certo modo de ver a vida, que tem a ver com inteligência emocional. Mas inteligência emocional é a habilidade de perceber melhor as pessoas, saber "ler" os sinais que elas emitem, ter empatia com elas. Tudo isso relaciona-se com prudência e serenidade e essas duas coisas são praticamente sinônimos de sabedoria, rsrs. Todos sabemos que há muitas pessoas que envelhecem sem mudar, ou sem melhorar. Mas a trajetória da vida favorece as mudanças positivas nas pessoas, embora nem todas aproveitem as lições dadas pelos acontecimentos. De mais a mais, a história -antiga, contemporânea e recente - em todas as esferas da vida, é repleta de heróis e heroínas idosos.

Um beijo

Pandora disse...

Talvez esse seja um post sobre a vida e a maturidade... e um pouco de melancolia tranquila também.

É sempre bom ler suas crônicas Lucia... Seu lirismo consegue enternecer e nos fazer refletir...

Clara Lucia disse...

O bom de envelhecer é isso, de não nos preocuparmos tanto com as coisas e nem termos a obrigação de saber tudo ao mesmo tempo. Minha filha diz isso "mãe, vc sabe tudo". Cansa mesmo. Não quero saber tudo e opinar sobre tudo. Quero saber o que me interessa sem ter que dar opinião sobre isso.
Acho que nos expressarmos o blog é um ótimo veículo de comunicação. É nosso espaço, portanto podemos "falar" o que quisermos, se quisermos. Se não falamos não quer dizer que não estamos por dentro.
E vamu que vamu que ainda tem muita vida pela frente!
Maninha... Uma linda semana pra nós!
Bejos

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Lúcia
Desde os 55 que convivo com o grupo da Melhor Idade e me identifico com muitas coisas... exceto bailes caquéticos e namoricos sem fundamentos... rs...
Quando fizer os 65... já terei 10 anos de experiência... falta pouco agora... rs...
Frio... artrose... desalento no inverno... tudo relevo...
Só não me apego a isso porque não ouso ficar prostrada na deprê...
escrever me faz muito bem, amiga...
Vc tem muito pensamento lógico e é fácil lê-la... escreve pra nós e nos enriqueça quando sentir vontade porque, afinal, já não precisamos fazer nada mais à força em nossa idade e cabelos brancos (ainda que poucos)...
Bjm fratenro de paz e bem

Heloísa disse...

Lúcia,
Como você diz, ser velho não tem muitas vantagens, não.
Aliás, não tem qualquer vantagem.
Mas, em relação ao conhecimento, não o técnico, mas o de vida, acho que o velho tem uma boa bagagem. Pelo menos, deve ter.
E esse conhecimento, ou sabedoria, muitas vezes atrapalha os relacionamentos. Já não se tem muita paciência para estabelecer comunicação com pessoas muito diferentes. E isso faz com que os velhos (coloco-me no grupo), muitas vezes se fechem.
Bjs.

ML disse...

Sempre me emociona a sua capacidade de falar o que pensa.
Sinceramente, vc é muito sábia e moderna e vivida, realmente nada a ver com a idade, tudo a ver com a experiência e com a capacidade do seu HD (=QI). bjsssss, Lucia!

Lu Souza Brito disse...

Lucia,

Voltei :)
Ah, como assim não tem vantagem?
Eu sempre acho que os mais velhos preocupam-se menos. Isso porque eles já passaram pelas angústias que passamos e sabem bem o que vem depois. A maturidade é uma coisa espetacular neste ponto. Acho também que se tornam mais serenos (nem todos, conheço um exemplar insuportável, parece que o tempo piorou e muito os defeitos dela).
Sobre querer o bem estar e saúde seu e dos que ama, que mal há nisso? Penso que é o desejo e toda mãe, avó.
Mas acho que dentro de você há duas Lucias. Aquela que quer falar e a outra que a reprime. Se eu fosse você libertava a Lucia faladeira, kkkk.
beijos. Quando ler este comentário, espero que já esteja 100% nariz / garganta.

✿ chica disse...

Lúcia, obrigadão pelo carinho por lá e que bom foste dar uma passeadinha! Isso faz bem! bjs, linda semana, tuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuudo de bom,chica

Cristina Pavani disse...

Oi, Lucinha, como vai?
Olha, estou assim por esses dias... sempre fui tão velha, desde a adolescência. Ao mesmo tempo sempre fui tão ligada aos detalhes da infância.
Vejo que sempre aprendo algo, e desaprendo outro algo, ou sei na teoria e não aplico devidamente.
No fim das contas, até viajar cansa. Pensar nos nossos a ponto de dar nó na leveza.
Olhe, escreva sem receios, que estamos à postos para apoiá-la!

Bjs

Anne Lieri disse...

Lucia,eu gosto de ler seus textos e apesar de dizer que pode ter perdido o jeito,não acho não! Vc escreve super bem e sempre se expressa com clareza e clareia as ideias da gente tb. Escreva sempre! bjs,

Maria Izabel Viégas disse...

Lúcia querida,

Lendo os comentários das amigas fui me perguntando: O que vou dizer sobre a Lúcia?
Todos foram corretos nos elogios à tua escrita fluente e harmoniosa.
Fla aqui sobre a "triste realidade" dessa limitação de ser mais velho com uma beleza e sem nenhum toque de melancolia.
Não acho, amiga, que os meis velhos sejam depressivos.
A depressão já está espalhada pela juventude.
A depressão já é moda, fala-se dela como se tê-la é ter sido sorteado com angústias e remédios. brinca-se com o ser "deprê".
Creio que o que os mais maduros têm é melancolia, é um ter-se mais tempo para fazer o que quiser e ao mesmo tempo, sentir-se inútil. É como dizer: Já vi esse filme quantas vezes, já fui ao Zoológico, à praia, ao cinema, fazer o quê?
É a dificuldade de encontrar novos veios, novas distrações.
É sentir-se assim, vou escrever para quem, para quê?
Não consigo, amiga, ser a muler de sessenta e oito anos indo cumprir o que os outros determinam como sendo a cura.
Bailes , dancinhas são para mim futilidades.
Encontro com pessoas da mesma idade para tomar chá ou para dividir solidão, Deus que me livre.
Aí prefiro ficar olhando a natureza, caminhar, fazer um exercício qualquer. Ficar à frente da telinha e escrever deve ser , sim, o remédio para quem assim se satisfaz.
E vc o faz muito bem!
Ontem caminhava com marido meu e andávamos rápido. Vi uma senhora andando bem devagar, meio travada, mais velha.
E falei para ele: Vamos tentar(ele tem 70) andar assim como andamos daqui a dez anos? Vamos combinar nunca esmorecer? Vamos nos cuidar?
É isso amiga, hoje me faz muito bem ler e estar aqui pois ri muito pela manhã. Conto o motivo. Penso que minha vida passou muito rápido!
Como não notei?
Deve ter sido porque fiz o que devia e , apesar de alguns muitos penares - superados, fui e sou muito feliz!
Passa por isso, querida: SER FELIZ!
A felicidade faz com que nada pese, nem a idade nem as rugas, nada mesmo!!!
Muitos beijos!
Vc me faz também muito feliz!

Simone Felic disse...

Espero ter a c alma que a velhice nos dá ainda hoje na juventude.
bjs
http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Evanir disse...

Seu texto é comovente gostaria de ter essa vasta sabedoria .
È maravilhoso conhecer através dos escritos a grandeza do coração que posso visualizar o seu.
Abraços um abençoado final de semana.
Evanir.

Luma Rosa disse...

Oi, Lúcia!
Você já pensou em fazer uma oficina de escrita? Em BHZ tem muitas e não vejo a idade como um entrave. A preguiça jogamos para o lado quando paramos de colocar pedras no caminho. E se no passado pensou em escrever, não deve descartar essa hipótese por achar que esteja incapaz de se emocionar. Muitas vezes temos que nos ausentar de nós mesmos para focar a escrita e com a oficina aprenderá a ter mais disciplina. As emoções estão apenas adormecidas! :)
Beijus,