Casamento

Presto atenção nos textos que circulam pela internet. Se me atraem, guardo. Sempre procuro saber a autoria deles, pois é sabido que o que mais temos são textos escritos por um e atribuídos a outros. Achei este, aproveitei até a imagem que o acompanhava. Estava sem o autor, procurei no Google e cheguei até ele. Abaixo coloquei o nome e o link para o seu blog. Escreve muito bem, o rapaz.

Casamento: modo se usar.

Case-se com alguém que adore te escutar contando algo banal como o preço abusivo dos tomates, ou que entenda quando você precisar filosofar sobre os desamores de Nietzsche.
Case-se com alguém que você também adore ouvir. É fácil reconhecer uma voz com quem se deve casar; ela te tranquiliza e ao mesmo tempo te deixa eufórico como em sua infância, quando se ouvia o som do portão abrindo, dos pais finalmente chegando. Observe se não há desespero ou insegurança no silêncio mútuo, assim sendo, case-se.
Se aquela pessoa não te faz rir, também não serve para casar. Vai chegar a hora em que tudo o que vocês poderão fazer, é rir de si mesmos. E não há nada mais cruel do que estar em apuros com alguém sem espontaneidade, sem vida nos olhos.
Case-se com alguém cheio de defeitos, irritante que seja, mas desconfie dos perfeitinhos que não se despenteiam. Fuja de quem conta pequenas mentiras durante o dia. Observe o caráter, antes de perceber as caspas.
Case-se com alguém por quem tenha tesão. Principalmente tesão de vida. Alguém que não lhe peça para melhorar, que não o critique gratuitamente, alguém que simplesmente seja tão gracioso e admirável que impregne em você a vontade de ser melhor e maior, para si mesmo.
Para se casar, bastam pequenas habilidades. Certifique-se de que um dos dois sabe cumpri-las. É preciso ter quem troque lâmpadas e quem siga uma receita sem atear fogo na cozinha; é preciso ter alguém que saiba fazer massagem nos pés e alguém que saiba escolher verduras no mercado. E assim segue-se: um faz bolinho de chuva, o outro escolhe bons filmes; um pendura o quadro e o outro cuida para que não fique torto. Tem aquele que escolhe os presentes para as festas de criança e aquele que sabe furar uma parede, e só a parede por ora. Essa é uma das grandes graças da coisa toda, ter uma boa equipe de dois.
Passamos tanto tempo observando se nos encaixamos na cama, se sentimos estalinhos no beijo, se nossos signos se complementam no zodíaco, que deixamos de prestar atenção no que realmente importa; os valores. Essa palavra antiga e, hoje assustadora, nunca deveria sair de moda.
Os lábios se buscam, os corpos encontram espaços, mas quando duas pessoas olham em direções diferentes, simplesmente não podem caminhar juntas. É duro, mas é a verdade. Sabendo que caminho quer trilhar, relaxe! A pessoa certa para casar certamente já o anda trilhando. Como reconhecê-la? Vocês estarão rindo. Rindo-se.
                         Casamento: modo se usar
Case-se com alguém que adore te escutar contando algo banal como o preço abusivo dos tomates, ou que entenda quando você precisar filosofar sobre os desamores de Nietzsche. 
Case-se com alguém que você também adore ouvir. É fácil reconhecer uma voz com quem se deve casar; ela te tranquiliza e ao mesmo tempo te deixa eufórico como em sua infância, quando se ouvia o som do portão abrindo, dos pais finalmente chegando. Observe se não há desespero ou insegurança no silêncio mútuo, assim sendo, case-se. 
Se aquela pessoa não te faz rir, também não serve para casar. Vai chegar a hora em que tudo o que vocês poderão fazer, é rir de si mesmos. E não há nada mais cruel do que estar em apuros com alguém sem espontaneidade, sem vida nos olhos. Case-se com alguém cheio de defeitos, irritante que seja, mas desconfie dos perfeitinhos que não se despenteiam. Fuja de quem conta pequenas mentiras durante o dia. Observe o caráter, antes de perceber as caspas. 
Case-se com alguém por quem tenha tesão. Principalmente tesão de vida. Alguém que não lhe peça para melhorar, que não o critique gratuitamente, alguém que simplesmente seja tão gracioso e admirável que impregne em você a vontade de ser melhor e maior, para si mesmo. 
Para se casar, bastam pequenas habilidades. Certifique-se de que um dos dois sabe cumpri-las. 
É preciso ter quem troque lâmpadas e quem siga uma receita sem atear fogo na cozinha; é preciso ter alguém que saiba fazer massagem nos pés e alguém que saiba escolher verduras no mercado. 
E assim segue-se: um faz bolinho de chuva, o outro escolhe bons filmes; um pendura o quadro e o outro cuida para que não fique torto. Tem aquele que escolhe os presentes para as festas de criança e aquele que sabe furar uma parede, e só a parede, por ora. Essa é uma das grandes graças da coisa toda, ter uma boa equipe de dois. Passamos tanto tempo observando se nos encaixamos na cama, se sentimos estalinhos no beijo, se nossos signos se complementam no zodíaco, que deixamos de prestar atenção no que realmente importa; os valores. Essa palavra antiga e, hoje assustadora, nunca deveria sair de moda. Os lábios se buscam, os corpos encontram espaços, mas quando duas pessoas olham em direções diferentes, simplesmente não podem caminhar juntas. É duro, mas é a verdade. Sabendo que caminho quer trilhar, relaxe! A pessoa certa para casar certamente já o anda trilhando. Como reconhecê-la? Vocês estarão rindo. Rindo-se.
Diego Engenho Novo
http://palavracronica.com/

21 comentários:

✿ chica disse...

Que beleza de texto esse!Adorei e o autor escreve muito bem! Tu sabe garimpar na internet...bjs, de volta(mesmo com vontade de nunca mais voltar e morar lá sempre,rs) chica

Cristina Pavani disse...

Oi, Lucinha!
Belo texto e sublime imagem... aquela senhora deve estar apalpando o bumbum de seu namorado adolescente, e não viu o tempo passar!
Realmente casamento é um conjunto de momentos: românticos, pragmáticos, estressantes, filosóficos, rústicos, apurados... é viver em par.

Até mais.

Carlos Hamilton disse...

Uau que maravilha. Gostei.... Uma lição.

Abraços

Maria Izabel Viégas disse...

Lucia, amei!

Casar com alguém, principalmente, que tenha defeitos.
Pois que assim a gente vai se ajeitando. Que seja chato, mas tão chato, que não te dê tempo para a monotonia.
E que sim, tenha um imenso, incomensurável tesão pela vida.
E por você, também, mas um tesão com fome de sorrisos.
Com fome de falar dos mesmos assuntos como se fossem a maior novidade do mundo.
E que se beijem e abracem e muito.
Por toda a vida!
E que quando um esquecer desses detalhes, que o outro puxe suas orelhas.
Pois nada deve ser apenas um hábito.
Deve ser uma cascata que mesmo que haja momentos de corredeiras e dificuldades, incertezas...
jorre sempre revigorante água fresca!
Beijos, minha amiga querida!

Sheyla - DMulheres disse...

Lucinha

Linda imagem e que texto maravilhoso!!Estou atrás de um companheiro assim...mas, acho que quanto mais procuro mais ele se afasta rsrsrsr
Você escolheu com maestria esse texto lindo!! Arrasa sempre.

Uma linda semana! bjossss

ML disse...

ADOREI o texto, Lucia!

De fato, o mais importante pra se "dividir a vida" são os valores.
E certamente a vontade de rir das piadinhas, do jeito de ser, das caras, das manias...

bjnhs e ótima semana, Querida!

Pitanga Doce disse...

Lucia, para tudo na vida (tudo mesmo) é preciso ter bom humor. O riso que nos acompanha faz passar rápido a fila do Banco ou do mercado. Faz com que você não se sinta ridículo apanhando a bolsa e a toalha na areia, quando água do mar vem e molha tudo. Se encontramos uma pessoa que se propõe a rir junto pela vida afora, é de se aproveitar. Com casamento ou não. Viver o que é bom, junto com quem quer o mesmo que nós, é melhor ainda.

beijos pitangueiros

Anja disse...

Bom dia Lucia!
Passei para conhecer e me deparo com este texto lindo.
Me vi em vários trechos da leitura.Um deles:
Eu fazendo bolinho de chuva e ele escolhendo filmes.
Mas nem tudo e perfeito,como diz o poeta.
Boa semana para você.

Anja

Rosamaria disse...

Lúcia, eu compartilhei este texto no face de tão lindo que achei. Eu achei o meu, passamos por muita coisa boa e momentos difíceis na vida, agora estamos na paz que pedimos a Deus. Também, lá se vão quase 50 anos! Este gesto é muito usado por aqui, hehehe.
Bjim, cosquirídia.

Marli Soares Borges disse...

Perfeito, Lucia! Um texto e tanto! Adorei. Bjsssssssss

Rachel disse...

Muito lindo esse texto... é o que espero daqui para frente... 34 anos de casamento baseado no amor, paciência e companheirismo...rs.
Juntaria a esse texto aquele vídeo que compartilhei do padre Fábio de Melo você viu?
Bjuss!!!

Adelina disse...

Adorei! :)

Toninho disse...

Lucia é mesmo interessante esta coisa de procurar o real dono de um texto para nao cometer o mesmo erro de quem os compartilha sem saber a verdade e realmente é o que mais vemos.
O texto é otimo para falar de uma relaçao que amadurece e cresce no cotidiano.
Muito boa partilha.

Lindo fim de semana com meu terno abraço mineiro.

Lu Souza Brito disse...

Lucia,

Que lindo este texto. Casamento não é para qualquer um, porque vão ter erros e acertos o tempo todo, e muita gente não quer pagar para ver, ou desiste antes da colheita.
Eu acho que sou mesmo uma sortuda. Sabe o que tenho notado ultimamente? Que lá em casa estamos sorrindo e tendo mais humor não só com os erros, como com as bobagens uns dos outros. Acho que no inicio queríamos muito ser 'o homem perfeito' ou a mulher perfeita, só que isso não se sustenta.
É preciso Rir, mas é preciso ter a mão acolhedora no momento que precisar.
Um beijo!

Roberta Salvanhini disse...

Nossa! Esse texto é lindo demais. Adorei e me emocionei. Beijos amore

Raquel Ramos disse...

Que lindo!!!!!!

Pepa disse...

Oi Lucia, é a Vi, a receita é tão simples, pena que estão complicando, por isso tantos divórcios.
Gostei do texto, e da sua disposição em ir atras do autor.
Beijos,Vi

She disse...

Oie querida!
Eu adoro esse texto e valeu reler!
Beijo, beijo!
She

Adelaide Araçai disse...

Adorei o texto, refletindo melhor acho que escolhi bem...rsrs
Tudo do mais simples e sem grandes promessas apenas o básico, ser feliz com o simples e duradouro

Muita Luz e Paz
Abraços

Misturação - Ana Karla disse...

Oi Lúcia linda!
Eu também adorei o texto.
Acho que nem precisamos encontrar o par ideal, mas evitar aquele que se mostra irreal.
Acredito na simplicidade e na forma de ser humano normal.
Xeros

Blog da Pandinha disse...

Lucia, recebo seus feeds pelo telefone, e na maioria das vezes, nao da para comentar. E fico com aquilo na cabeça. Vim hoje para procurar este texto, e deixar registrado o quanto achei de verdade em cada uma das palavras. Viver ao lado de quem podemos trocar eh uma das grandezas da vida! Beijos