Um dia de cada vez

A vida dá umas reviravoltas, de vez em quando.
A calmaria é para poucos.
Há dias serenos, mas há dias agitados.
Sempre se diz que isso é bom, que rotina é que deixa a vida sem graça.
Mas é difícil encarar as novidades, quando elas não são boas.
A gente quer que tudo sempre corra bem, seja novo ou velho. Surpresas boas, sempre. Acontecimentos bons, sempre.
Ninguém quer sofrer, ninguém quer seu mundo de pernas para o ar.
Mas que bom que não foi um terremoto.
Que bom que não foi uma fatalidade.
Que bom quando tudo acaba bem!
Por isso resolvi não fazer planos. Viver um dia de cada vez.
E ser sempre otimista.
Hoje houve percalços, amanhã será diferente.
De preferência, diferente e bom.
Só não pode deixar o riso sumir, a tristeza chegar.
É preciso sempre confiar.
Um dia de cada vez.




5 comentários:

✿ chica disse...

Um texto lindo e belas conclusões e reflexões...Queremos sempre que tudo ande bem..Se não cuidarmos, corremos tanto pra isso que as coisas andam e nós ficamos,rs...Lindo! bjs, chica

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida amiga Lúcia!
Não deixar a tristeza fincar raizes nesta primavera pra que nosso coração não deixe de florir a cem por um...
Seja feliz e abençoada!
Bjm de paz e bem

Ana Paula disse...

Devemos ser flexíveis feito bambu, porque as tempestades da vida são inevitáveis, então para não quebrar, para não entristecer de maneira a deixar de viver, vamos de cá e de lá, vivendo um dia de cada vez!
Beijo Lúcia!

Maria Izabel Viégas disse...

Lúcia,
Diz Fernando Pessoa que o "poeta é um fingidor".
E será que nós não o seremos
quando ao ler este teu texto lúcido,
escrito por uma mulher que bem conheço
e sei que não foge à luta...
Que somos fingidores?
Que escrevemos escondendo nossas mazelas.
E fazendo de cota que tudo vai bem?
Como tudo vai bem?
Como nesse mundo caótico
Cheio de dor e sofrimento
Ouso me comparar a pedras do caminho
A dizer que , apesar de tudo,
O sol sempre nasce?
Nasce onde? Nós é que dormimos e sol vai seguindo
Fazendo a única coisa que sabe fazer:iluminar o planeta
Que vive ao seu redor?
Sim, sou abençoada porque não me iludo.
deixo a tristeza fazer de mim gato e sapato
E dou um basta pois ela não é minha dona.
Não sou como as estações do ano.
Eu vivo as estações do ano
Pois nasci no planeta Terra
Agradecida a Deus por nascer nos trópicos. Na neve morria.
Se apesar da dor, sou feliz.
Não porque sou igual a plantas.
E sim, porque nasci gente
E gente,
Justo por ter nascido gente
Tem que Viver!
É essa a missão.
Ora feliz, ora triste,
Dias dolorida, dias pura satisfação.
Poque nasci carne e osso.
E um coração e mente que me dizem:
Vai!Segue. Sem frescura.
Sofre a teu modo.
Mas nunca se esqueça:
Tem gente que sofre muito mais.
E nem tem um blog para escrever.
E ter amigas como você!
Fora do ar.
Não dá para dar mensagens de louvor
Pois, como não sou poeta,
Não sou fingidor.
Beijinhos, minha querida!


Luma Rosa disse...

Oi, Lúcia!
Você escreveu esse texto pra mim? Estou assim... desejando a segurança da rotina e que os meus dias sejam mais calmos. Mas desejar por si não traz realização e muito menos as nossas lutas para isso aconteça, porque muitas coisas estão atreladas a fatores que não controlamos. Viver um dia após o outro é um grande avanço! O mesmo que saber controlar a ansiedade.
Beijus no coração!!