O amor está no ar

O amor, afinal, nunca "sai" do ar.
Amor é a mola do mundo.
Pensar no amor, numa data específica como esta, Dia dos namorados, leva ao amor romance, amor entre homem e mulher.
Mais velho do que tudo. Mesmo tão banalizado, como em nossos tempos.
Por mais clichê que seja dizer que o amor é o mais nobre dos sentimentos, isso não pode ser esquecido. 
O amor é cantado em prosa e verso, já inspirou lindas histórias e canções inesquecíveis.
História de amor que se preze tem que ter sofrimento, desencontros, passagem de tempo, lágrimas, para enfim "viverem felizes para sempre".
Amor não tem que ser provado, mas demonstrado.
Um gesto, um olhar, um sorriso. Palavras nem sempre são necessárias.
Amor não precisa de rimas.
Amar não é perdoar, relevar, esquecer.
Amor entre um homem e uma mulher é, antes de tudo, carinho e respeito.
Um amor não sobrevive de amor.
Amor é respeito, admiração, amizade, companheirismo.
Amar se aprende amando, é preciso se entregar e acreditar. 
Amor é plenitude, um complementando e não completando o outro.
E, contrariando isso, essa belezinha de letra, que mostra que, afinal, a gente ainda quer e precisa do amor-romântico, de borboletas no estômago e que toda a teoria caia por terra, porque a vida pode ser mais gostosa quando temos alguém para dividir os sonhos.

Avião sem asa,
fogueira sem brasa,
sou eu assim sem você.
Futebol sem bola,
Piu-piu sem Frajola,
sou eu assim sem você.

Por que é que tem que ser assim
se o meu desejo não tem fim?

Eu te quero a todo instante nem mil auto falantes
vão poder falar por mim.

Amor sem beijinho,
Bochecha sem Claudinho,
sou eu assim sem você.
Circo sem palhaço,
namoro sem amasso,
sou eu assim sem você

Tô louca pra te ver chegar,
Tô louca pra te ter nas mãos.
Deitar no teu abraço,
Retomar o pedaço que falta no meu coração.

Eu não existo longe de você
e a solidão é o meu pior castigo.
Eu conto as horas pra poder te ver
mas o relógio tá de mal comigo
Por quê?
Por quê?

Nenem sem chupeta,
Romeu sem Julieta,
sou eu assim sem você.
Carro sem estrada,
queijo sem goiabada,
sou eu assim sem você

Por que é que tem que ser assim
se o meu desejo não tem fim.
Eu te quero a todo instante nem mil auto falantes vão poder
falar por mim

Eu não existo longe de você
e a solidão é o meu pior castigo.
Eu conto as horas pra poder te ver
mas o relógio tá de mal comigo.


 (Falei do amor/romance como sendo o entre um homem e uma mulher, esquecendo-me que homens amam homens e mulheres amam mulheres, como a doce Adriana Calcanhoto, que tão lindamente canta a música que, espero, você tenha ouvido e acompanhado a letra. Ela vive há anos com Suzana de Morais, filha do poetinha que tanto cantou o amor, Vinicius. E viva o amor!)
Blogagem coletiva, proposta pela Norma, do blog http://pensandoemfamilia.com.br/blog/
Participe!

10 comentários:

✿ chica disse...

Adorei teu texto e declaraste muito bem teu amor pelo teu maridão com essa linda música que adoro!

Falaste muito bem!


beijos,tudo de bom,lindo e feliz dia por aí! chica

Marli Soares Borges disse...

Oi Lúcia,
Também acho que o amor nunca 'sai do ar', mas no dia de hoje, ele alcança as alturas. E isso é muito bom! Gostei de tua postagem, do teu amor declarado. Parabéns, que continue assim por muitos e muitos anos.
Bjs
Marli
Blog da Marli

pensandoemfamilia disse...

Oi Lúcia
Sempre tão espontânea em seus textos. Bela declaração de amor. Grata querida por estar conosco nesta roda amorosa que faz circular o amor, principalmente entre nós, blogueiros, que se articulam ao face enlaçando nossos projetos.

Gracita Fraga disse...

Oi Lúcia
Você foi fantástica ao afirmar que o amor não sai do ar. O amor é convivência, é carinho, respeito é ternura. O amor é o encontro e desencontros de dois corações que se querem bem. E você ornou maravilhosamente a tua declaração com esta bela música da Adriana. Parabéns pela fabulosa participação
Beijos
Gracita

Antonio Reis disse...

Esclarecimentos que sempre são bem vindos e devem ser relembrados.
Otima sua postagem Lucia e fechou belamente com este exemplo de união da Adriana.
O amor pode e vence tudo, ele esta acima de tudo e pode muito.
Bela participação.

Meu abraço mineiro de flor.
Feliz dia.

Beth/Lilás disse...

Lúcia, dissestes muito bem, o amor nunca saí do ar, senão nosso mundo morreria.
Pois olha, eu nem sabia disso que a Adriana vivia com a filha do Vinícius! Adoro as músicas dela!
um beijo carioca

Maria Luiza disse...

Olá, Lúcia, menina perspicaz, nos brindou com uma letra muito bem composta na simplicidade de versos , mas definem com precisão a verdade sobre o amor! Parabéns! Linda a sua participação! meu forte abraço!

Maria Luiza disse...

Seu texto também encantou-me como tudo o que escreves!

ML disse...

Que post LINDO, Lucia e essa música eu ADORO!!!!! Principalmente na gravação da Calcanhoto (não sabia quem era a companheira dela, são lindas e que dignidade, acho um absurdo jurássico quem "atira pedras" nas escolhas pessoais. Livre arbítrio emocional, todos merecemos).

bjnhs e aí, está curtindo a Copa?

Bia Jubiart disse...

Bela reflexão/declaração, o amor sempre está em nós...
A revista "Vida Simples deste mês tem uma matéria muito interessante sobre o amor.
Acho essa música linda!
Bjoooooooooo