Quem sou?

Sou uma mulher de 20, solteira, que encontrou "seu príncipe encantado".
Sou uma mulher de 30, casada, três filhos.
Sou uma mulher de 40, repensando a vida, recomeçando.
Sou uma mulher de 50, avó, numa corrida vertiginosa contra o tempo.
Fui bebê, menina, adolescente, moça, mulher.
Deixei a vida passar e estou passando pela vida.
Hoje posso ter 20 anos, amanhã posso ter 80.
Hoje sou alegre, amanhã posso estar "no fundo do poço". Mas bato e volto. Respiro e continuo.
Sou fé, sou otimismo, sou brava, sou cordata, sou sábia, sou burra, sou desconfiada, sou crente.
Sou amiga, sou crítica, sou mordaz. 
Quando falo, falo o que penso e não assopro depois. Falei, tá falado, mesmo que me arrependa interiormente. 
Vejo o mundo com olhos de desconfiança, mesmo acreditando.
Não acredito no mal como base. 
Ninguém pode preferir ser mau a ser bom.
Filosofo. Vejo um mundo onde tudo se combina, tudo dá certo, tudo só acontece para o bem.
Não sou só alegre, nem só triste, nem poeta, nem ferro, nem fogo, nem pau, nem pedra.
Gosto de mudar de ideia, troco de ideais, a vida não é estática.
Sou mulher, filha, irmã, mãe, avó, sobrinha, prima, tia, madrinha, amiga, patroa, vizinha, motorista, passageira, babá, cozinheira, lavadeira, faxineira, cuidadosa, metódica. 
Sou grata. Choro, rio, não canto muito, não ouço música com constância. 
Sou seletiva, caprichosa, não muito habilidosa para o manual, mas se faço, tem que ser muito bem feito.
Gosto de ler, de conversar, de rir, "jogando conversa fora". 
Gosto de cinema (filmes, não as salas de cinema), de internet.
Não sou branca, nem negra, nem baixa, nem gorda, nem alta, nem magra, nem gay, nem pobre, nem rica, nem jovem, nem velha.
Sou gente.

(Texto de 2008, encontrado nos rascunhos.)

9 comentários:

Toninho disse...

Olá Lúcia que prosa boa da auto definição sem dor.
Gostei da construção livre e ilustrada com belas passagens da poesia.
O fechamento é fantástico amiga.
Somos gente e gente é para brilhar né?

Meu terno abraço mineiro de flor.

✿ chica disse...

Que lindo,Lúcia!


Beleza de descrição bem detalhada de quem muda, vai do quente pro frio, faz e acontece., mas nada difere de ser GENTE como todos nós somos, com nossas reações normais. Adorei! bjs, chica

piteis da dinha disse...

Oi Lúcia!
Isso sim é ser gente. O resto, é só resto...
Parabéns pelo belo post!
Bjs

Clara Lucia disse...

Também sou metódica... Qdo descobri que sou metódica me deu um pouco de medo. Talvez por ficar acomodada e não enxergar o novo e aceitar as mudanças. Mas fiquei tanto tempo presa num poço que quando saí fiquei perdida. Cada dia é uma coisa diferente, mas ainda impera o medo pelo novo e o medo de voltar ao fundo do poço. Me tornei seletiva e terrivelmente resisto às pessoas. É terrível isso, Lúcia, mas é assim. Vc nem perguntou, mas fui escrevendo, escrevendo... rsrsrsrs
Beijos!

Maria Gloria D'Amico disse...

Oi Lúcia. As várias facetas de ser gente e mulher. Beijão!

Marly disse...

Oi, Lúcia,

Gostei do texto, que é o retrato de uma mulher atenta à sua condição e ao que se passa em volta. A questão do tempo também é muito interessante, pois ele pontua e organiza os acontecimentos de nossas vidas, enquanto proporciona as mudanças que os mesmos acontecimentos vão causando. Eu hoje só consigo ver a vida como uma experiência espiritual, e de aprendizagem. Por isso eu acho que as escolhas das pessoas são ocasionadas pela percepção que elas têm no momento em que as fazem. Esta, em minha opinião, é a causa de alguns fazerem escolhas que podem causar prejuízos aos outros. Mas, de qualquer modo, vejo a vida como uma dádiva, uma missão que a gente tem de desempenhar com grande responsabilidade e também com alegria, pois nos são dados motivos para sermos alegres também.

Um beijo, bom dia e uma ótima semana para você!

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Lúcia!
Sou um pouco do que disse mas nem tudo, rs...
Somos diferentes e é isso que encanta no mundo virtual e real... se fôssemos todos iguais, seria uma chatice só...
Sei que é bondosa e inteligente pelo que vi pessoalmente... gosta de conversar e é acolhedora como toda boa mineira... na certa, muito mais do que disse... claro!
Bjm muito fraterno

Gisley Scott disse...

Que delícia de texto! Feliz que vc o encontrou nos rascunhos e o publicou!
Beijos!
www.vivendolaforanoseua.blogspot.com

Carmem Grinheiro disse...

"Não sou só alegre, nem só triste, nem poeta, nem ferro, nem fogo, nem pau, nem pedra" - definição que poderia ser minha, também.
Bonito.

bj amg