Manual para a vida / Parte 1

Embora seja fato que a vida não nos vem com manual, algumas regras são básicas para se viver bem.
Na parte da alimentação, nosso combustível, que é vital para o corpo, é interessante perceber como podemos levar pra dentro de nós um mundo de imundícies e ainda assim achar que o corpo agradecerá.
Por isso a água, um dos 4 elementos da vida (água, ar, fogo e terra) é importante. Não à toa ela é incolor, inodora e insípida. Para podermos misturá-la com a cor que quisermos, perfumá-la a nosso gosto e dar-lhe o sabor que precisamos naquele  momento, de um suco refrescante, por exemplo. Mas bom mesmo é in natura, à vontade, gelada ou apenas friinha, como gosto.

E na hora de nos alimentarmos, procuramos os fast foods, as comidas a quilo, gordurosas, salgadas, contaminadas, muitas vezes. Não que eu não coma fora de casa, mas escolho muito o lugar, para garantir uma boa higiene, no mínimo. Comer o industrializado está na ordem do dia e enchendo os consultórios. Cadê quintal pra ter nossa horta, nossas frutas, colhidas diretamente? Um sonho para poucos.


No manual que recebi (sim, escritos pelo homem tem muitos!), é necessário não nos esquecermos de viver com os 3 E: Energia, Entusiasmo e Empatia. 
Empatia é a "capacidade de se identificar com outra pessoa; faculdade de compreender emocionalmente outra pessoa"  e aí precisaria de outro manual para exercitar isso, já que a maioria das pessoas deixou de enxergar o outro e só enxerga seu próprio umbigo.
 E ainda, o manual orienta-me a não me esquecer de rezar (orar). O que me faz bem ler, porque rezar faz parte das minhas atribuições diárias. Não vivo sem a oração, nem sempre a convencional, que se pode repetir exaustivamente, sem nem sentir. Rezo num tête-à-tête com Deus, porque sou íntima Dele e porque é como respirar, para mim. Natural. Nisso, então, a vida me trouxe com manual.


 E para que a vida seja mais leve, não se pode esquecer de um básico exercício mental, alguma atividade para manter o cérebro funcionando direitinho, seja fazendo palavras cruzadas, sudoku, lendo (sempre ler mais livros do que o ano anterior, superando-se), assistindo a filmes, divagando a olhar uma paisagem, enfim, qualquer coisa que desvie os pensamentos dos problemas cotidianos e nos enriqueça intelectualmente. Ou não, apenas o prazer de ver e apreciar, sem entrar nos detalhes, mas entendendo os detalhes. Entendeu?
 Não nos esquecendo que o silêncio sempre é uma grande companhia e que sentar-nos num cantinho, mesmo que por apenas 10 minutos, e não pensar em nada, ou ter essa capacidade de desligarmos de tudo e entrar num mundo particular, mesmo em meio ao caos, fará bem à mente e ao coração.
À noite, todo um doce ritual para o sono, que é de ouro. Dormir 8 horas por noite é o ideal, seja em que idade for. Cresci ouvindo que quanto mais velhos, menos sono temos e isso me faz pensar que minha idade cronológica então não é a real, visto que adoro dormir muito, há dias que mais de 8 horas. E, bem verdade, há noites insones, também, mas bem poucas, felizmente.

                      (Samuel, aos 4 meses. Foto tirada pela amiga Daniela Castro)

Outra das regras de ouro: caminhar. Não caminho e sinto falta disso, o corpo reclama, a gordura se acumula, os pneus já estão quase iguais aos do bonequinho da Michelin (claro, exagerei). O que reflete no meu ânimo geral e não me faz bem, definitivamente.
 E por último, na lista, mas nunca o último, sorrir. Sim, sorrir é vital. Abre portas. Abre corações.
O sorriso é a nossa força. Um sorriso desarma. Ou irrita, se não for sincero, amigável, realmente de alegria. Não percamos tempo com sorrisos de ironia. Não são os legítimos.
Quem sabe sorrir o faz primeiro com os olhos.

(E o manual segue, com mais regras para a vida, num próximo post).

9 comentários:

Clara Lúcia disse...

Acho todos importantes, mas esse último é super necessário.
Saber levar a vida com leveza, com bom humor, saber rir das coisas que não são tão importantes assim, dos problemas que nem são problemas...
Isso faz toda a diferença, Lúcia.

Vou esperar o outro!

Beijos

Luciana disse...

Dessa parte do manual estou precisando exercitar mais o caminhar, dormir mais e ler mais, minha meta de dois livros por mês nao surtiu efeito em janeiro, estou no fim do primeiro ainda.
Vou aguardar mais dicas.

Beijo

✿ chica disse...

Muito importantes e sempre oportuno lembrar essas dicas...beijos praianos,tudo de bom,chica

Sílvia Gianni disse...

Oi Lúcia,
Acho todas as dicas importantes. Todas estão ao nosso alcance. Basta querer e por em prática.
Que boa lembrança a sua.
Ficarei aguardando as próximas dicas.
Beijos e boa semana.

Cristina disse...

Que belo manual, Lúcia! E pensar que não requer nada extraordinário, nem dinheiro extra, apenas organização na rotina semanal.
Abraço caipira.

Palavras Vagabundas disse...

Boas dicas esse manual. Agora, trate de andar D. Lucia! Eu faço tudo que posso em meu bairro a pé, sinto falta a maior falta se não o faço, além de fazer hidroginástica tres vezes por semana. Eu acho exercício físico realmente muito importante.
bjs
Jussara

Beth/Lilás disse...

Bem, Lúcia, do alto dos meus entas e poucos anos, digo que a vida pra mim não funciona com manuais e sim com a razão que vamos assimilando com o decorrer dos anos e com o que o nosso corpo precisa e se sente bem.
Eu curto muito coisas naturais, claro, mas é difícil fugir dos industrializados, estão em toda parte hoje em dia. O ideal é sempre a gente atentar para os rótulos, ver a quantidade de sódio principalmente, beber muita água e fazer exercícios, nem que seja de meia hora todos os dias. Eu me dedico a isto agora e vejo que é o melhor para mim, embora não emagreça nem um pouquinho, mas minha aptidão física é muito boa graças a Deus!
beijos cariocas


Misturação - Ana Karla disse...

Lúcia esse manual é essencial e o último então é tudo.
O sorriso é a alma do bem viver, lógico se ele for sincero.
Aguardando o segundo.
Xeros e um sorriso bem aberto.

ML disse...

Lucia: pelo que sei, o caminhar - exercício aeróbico - desencadeia substâncias químicas e... o riso vem.
Então... que tal... começar já, já? "Devagar, devagarinho, oh, oh, oh..." e depois "run rabbit, run..." ; > )

AMEI MUITO as imagens!